Confirmação GOOGLE Adsense



This post confirms my ownership of the site and that this site adheres to Google AdSense program policies and Terms and Conditions: partner-pub-0072061571065124


domingo, 21 de setembro de 2014

As Várias Faces de Um Ser

LIVROS, SETS, MIXES,

PLANILHAS, GESTÕES,

DESENHOS, ARTES, RPG,

COMUNICAÇÕES e CULTURAS

DO BLOG LIVROS DO EDSON







Postagem número 93 do blog autoral de Edson Fernando (Souza Edson), @novalluz, Ed Son Nando, the other, dédo...

o dj edsonnando. Com o título acima mencionado ou o subtítulo abaixo escrito:

As várias Faces de um Ser






Nesta Edição do Blog


  • Poesia: O Sal Soturno.

  • The DJ Mixes: 3 Sets de Setembro.

  • Texto: O que pode acontecer com uma cidade em 4 anos.

  • Opinião de Discente: O Orçamento VS o Patrimônio Público

  • Eduardo Waack - Os Guerreiros Medievais têm medo de automóvel e de liquidificador.

  • Livros do Edson: Divulgação de Material Didático: Comunicação.

  • Track Comentada: Love Will Save The Day




INDICAÇÃO DE LEITURA

EDUARDO WAACK E SEUS GUERREIROS MEDIEVAIS

    Mais conhecido por sua atuação na área poética, publicando desde o ano de 1979 em jornais, revistas, fanzines, livros, camisetas, exposições, blogs e sites do Brasil e exterior, Eduardo Waack tem construído paralelamente a este trabalho uma estrada consistente na área da prosa literária, com textos que alcançaram o mesmo nível de seus versos, segundo o escritor Benedicto Luz e Silva. Mensalmente, no jornal O Boêmio, por ele editado a partir de 1991, uma amostra desta criação é oferecida aos seus leitores, que vinham pedindo que suas crônicas e contos fossem reunidos em livro, para assim juntos ter maior representatividade. Pois assim se deu. “Os Guerreiros Medievais Têm Medo de Automóvel e Liquidificador” é o título deste livro gerado ao longo dos últimos anos, e que já está sendo impresso em Matão, nas oficinas da Grafotech, com lançamento previsto para os próximos dias. O apoio cultural que possibilitou a realização deste sonho é da empresa Reintech — Controle da Contaminação, sediada em São José dos Campos (SP).

    Tudo teve início com o título, que mostra a dualidade da vida moderna, onde as tradições e a simplicidade estão sendo trocadas pela tecnologia enganosa e pelo falso atraente. Este título extenso e curioso nasceu em 1988, e de lá para cá muita coisa aconteceu. O que seria um livro apenas de poesias vem à luz como um apanhado de textos; alguns inéditos, outros já publicados e conhecidos do grande público. Profundamente marcado pelos mestres Georges Ohsawa, Tomio Kikuchi, José Trigueirinho Neto, Jack Kerouac e Érico Veríssimo, Eduardo em seus textos busca refletir sobre o emaranhado de crenças, convicções, atitudes e pensamentos que conduzem o homem a um verdadeiro labirinto, onde a medida das pessoas está em ter, e não ser, e a consciência jaz soterrada por toneladas de quinquilharias e futilidades. Neste ritmo desgovernado e suicida, a natureza está sendo destruída, os animais extintos, as florestas incendiadas e os recursos minerais exauridos. Perdida e infeliz, a sociedade erra em busca de um porto seguro, enquanto a violência desfaz as últimas quimeras de uma raça mentirosa e que desconhece a verdade. Esta é uma obra que vale a pena ser lida por todos aqueles que desconfiam das promessas de felicidade que o sistema oferece a quem cumpre suas ordens.

        Os interessados em adquirir este livro podem escrever ao próprio autor, pelo e-mail eduardowaack@gmail.com.



3 Sets de Setembro

on Soundcloud


  •  Tropicalian Electronic Folk - from SP to Scotland



  •  A Club Garage Set - Change, Man



  •  PURE _\_/_|_BRATION - Set Across The Land






POESIA:






Edson Fernando Souza – September, 09 - 2014.



Sal Soturno



I

Depois que se derrama o leite no fogão

lamber, limpar, chorar ou mingar, não,

certamente não irá adiantar – não vai vingar.

Deixar o leite na mesma situação: no chão para se limpar.

o silêncio é muito relativo

– O que se diz, quando não nos podem ouvir?

Para quem seca as coisas, como não esperar,

que elas aconteçam, igual imaginada?

De repente, quem viu aquele que ficou subitamente

e depois, #partiu, igualmente como veio

sem saber pra onde, como e além?

Aquele gosto que vem a boca

– será mesmo inédito o teu verso?

E quem pode ter ver... – sabe o que faz aí?



II

Dei um tempo para mim mesmo – deixa que passe a Páscoa sem os ovos.

Que me importa se eu não sou gerente de nada?

E nem recebo verba alguma, mês a mês?

Uma que eu já não sou mais aquele jovem tolo,

E agora, que acho que sei sobre as coisas,

O Mundo é outro. Acontece outras coisas.

São outros os valores e julgam

sempre, e mais do que nunca...

Qualé a tua medida?

Até quando a terá!

E o que mais sei – se eu pudesse te dizer –

que chega um ponto em que não acaba,

Se eu disser que as coisas cristalizam,

ganham formas, de acordo com suas intenções?

O cigarro não acaba quando se joga fora, a bituca, pela janela.

Sua vida não será encerrada

quando não foi aprovado, em nenhum, dos concursos que fez.

O bem que pretendia fazer, não surtiu

menos efeito, porque bem na hora “H”

deram para a trás, sem, sequer, que tiveste

uma mínima chance de reverter a situação.

Tal bem é aquilo que está em ti – e que ninguém poderá tirar.



III

Vou tornar a mim mesmo

deixar que seja por si só

o que restou de mim, agora,

Acha que isto é pouco?

Sabia, que tem bem maior, onde não podemos enxergar?

E que posso fazer bem maior daquilo que não pode pegar?

Mas, nem ao menos, sei se sou tudo aquilo de que falo

pois já não sei se as pessoas, também, são aquelas mesmas quem conheci.

Pois tudo parece ter duas caras

e a sinceridade, saiu de moda.

E pior, está esquecida

em algum laboratório

dentro de um reator nuclear

– para ser atomizada.



IV

O dia em que se cansarem, tudo vai para os ares

– eles vão atomizar a sinceridade esquecida...

Quando me cansar, também mando tudo pros ares

Mas não com uma explosão

Mas sim, com a minha falta de comunicação.

Farei tal como o Pokèmon “Cloyster”

irei me fechar em minha concha

de crustáceo esquecido das eras

daninhas de egos, das vaidades e dos badoos.




TRACK COMENTADA:



LOVE WILL SAVE THE DAY - Real El Canario


Lembro-me que tinha três versões desta track, na época do lançamento dela, em 2007. Mas sabe como é, não? dj que não faz sua parte uó (chato) acaba perdendo algunas de suas relíquias-dos-feixes-de-laser-óptico (aprecio o formato audio CD a praticamente qualquer outro formato que existe ou irá existir). De qualquer modo nunca esqueci deste título, e agora, em 2011, quando Real El Canario lançou Internacional Style, relembrei de fuçar sons desta "banda" de eletrônico e, surpresa!, tinha-me sobrado, em cd, uma versão de Love Will Save The Day. E, também, por isto, fiz o set e o uploadei.

Quando tudo se estiver perdido, ame, que o amor vai salvar o seu dia.

    E vejamos agora uma livre tradução minha, de uma de minhas audições desta track, na seleção mixada A Club Garage Mixed Set:

Sometimes left you can make me crazy 

Certas vezas, deixá-lo me fez ficar louco

You can really put your body into the test 

Você realmente vai pôr o seu corpo em um teste

Your try so hard to make everything right [...]

Suas duras tentativas de fazer todas as coisas precisas.

When you need so a little Change your Heart 

Quando vocẽ precisa, só um pouco, de mudar o seu coração

Forget the spiral sensation

Esqueça aquelas sensações em espirais

Love is only can play and gain with the heart 

Amor é o único que pode tocar (e ganhar) o coração

When your badly and pretty down

Quando pessimamente está cabisbaixo.

Here's my fierce  

Aqui minhas energia

When you feeling down and out 

Quando você se sente para baixo e de fora

And you got the trobble on your mind 

E você leva a sério os problemas em sua mente

Love will save the day 

O Amor Salvará o Dia

When you feelind fool in a top 

Quando você se sente um tolo no topo

And feeling has got in you bye

E sente-se indo sem sentido algum

Love will save the day [...]

Amor Salvará o dia

Many things can you bring down

Muitas coisas poder te jogar para baixo

Is a wonder you can make and feel the day

É maravilhoso, você pode fazer e sentir o dia

Cause love will save the day 

Porque Amar Salvará o Dia.

LOVE WILL SAVE THE DAY [repeat]

AMAR SALVARÁ O DIA


LIVROS DO EDSON → LIVROS DIDÁTICOS





    Acima, a imagem do índice de uma compilação que elaborei - para o Projeto Pescar de Matão, na Empresa Citrosuco, tendo como supervisor do projeto, Divan L. Hernandes e como coordenadora de Polo, Aline Moreno. O projeto ainda inclui lecionar para 24 alunos do ensino médio, da rede pública (e municipal) da cidade. Tanto o tema das aulas quanto o tema da apostilha desenvolvida foi: Comunicação Oral e Escrita: → Interpretação de Textos →Produção de Textos: Relatórios e Projetos.
    A minha participação no projeto foi totalmente orientada à necessidade dos alunos participantes do mesmo: elaboração de uma apostilha compacta, que resumisse todo o conteúdo da produção de texto (e da gramática!), especificamente, voltado ao ensino médio e com enfoque na confecção de relatório, projetos, TCCs e teses.
   O resultado, foi um material claro, preciso, e de suma importância, no bom desempenho dos alnos, em provas como ENEM, ENADE (futuramente), e porque não, um valioso recurso, da época em que se for necessário elaborar teses.
    Estou divulgando o projeto PESCAR, além da faculdade (Uniseb / Estácio), mas também, aproveito para divulgar as minhas capacidades, que além de ser escritor autoral (e de linguagem web), também posso fazer compilações e material didático, segundo o regimento da ABNT pra que não seja descaracterizada a produção acadêmica.
     Aceito convites para participar de demais projetos de cunho semelhante ou mesmo, outras sinergias e propostas novíssimas. Entrem em contato através de:
  • edsonnando@live.com

  • efsouzza@gmail.com



2 TEXTOS DO AUTOR DO BLOG:


Orçamento VS Patrimônio Público.

    É muito comum, ouvirmos no Brasil, frases como, “a rua é pública”, “esta área é pública”, “...dinheiro dos cofres públicos”, “a coisa e o poder público”; mas, geralmente, quem utiliza este vocábulo, ou é figura pública, ou servidor, ou um cidadão em protesto. E como sabem, caros leitores, as funções de linguagem, tal como defende Roman Jakobson, depende muito do “tipo” de mensagem que irá se passar, além de quem é o receptor e quem está a emitir a mensagem.
    De todo modo, a melhor definição da coisa pública, ao meu ver, como jornalista há 18 anos – pois considero a minha escrita, uma escrita informativa, como a dos jornalistas –, e, também, ao meu ver como estudante de legislação há 6 anos, além de discente de contábeis (nível superior há 4 anos), entre as demais óticas que disponho – como a do desenhista, do mecanicista, do designer em “.html” e do mestre em RPG –, fazem-me (fazem-nos) crer, que a melhor definição da coisa pública é o próprio subtítulo do Zaratustra de Friedrich Nietzsche: Um Livro para todos e para ninguém. E da coisa pública (pelo mesmo raciocínio): uma coisa para todos e para ninguém.
    Onde, a coisa pública é de todos – da sociedade; da passada, desta e das futuras gerações – ; ao mesmo tempo em que não é de ninguém – uma vez que ninguém pode se dizer o dono da coisa pública. Ou seja, ela é de todos mas não pertence aos políticos, nem aos eleitores e muito menos aos parentes dos carguistas comissionados.
    E olhem que incrível – o Governo Federal, através das normas CASP (Contabilidade Aplicada ao Setor Público), vem adotando uma série de medidas para “padronizar” o serviço público às normas contábeis aceitas internacionalmente (veja maiores detalhes no site do tesouro nacional) e uma das distinções mais importantes, segundo valiosos contabilistas da área é a diferenciação entre o Patrimônio Público e o Orçamento Público.
Basicamente:
  • Orçamento: diz da previsão de arrecadação, ou da pagamento de impostos consolidados. Ou seja, diz do quanto de dinheiro que o governo espera recolher com os seus cidadães, munícipes, etc... Seria o governar pura e simplesmente em função das receita correntes ou previstas.
  • Patrimônio: diz da contabilização levando em contas fatores como bem público, vida útil, depreciação e reavaliação.

    No primeiro fala-se de governar segundo o quando de verba tem para a saúde, educação, gastos com pessoal, etc. No segundo diz-se de governança voltada ao bem de uso comum, ou seja, verifica-se o estado e condição do serviço / coisa pública e faz-se sua contabilização segundo o método de valor de uso (note que esta imagem é uma analogia, porque valor de uso é um termo da contabilidade comercial, que em nada poderia ser utilizado no setor público, uma vez, que em tese, a coisa pública não deveria ser livremente comercializada, ao menos não sem compartilhar a riqueza do bem comum e não sem licitações e concorrências (certames) públicas; mas no Brasil, infelizmente, ainda, temos vários casos de empresas públicas que não são tratadas como tal, e pior, órgãos públicos tratados como entidades de fins particulares).
    As atualizações da contabilidade pública, atingem, ao nosso ver, seu ápice da sua implantação, segundo o padrão CASP, agora, em 2014, vejamos alguns pontos:
  • Utilização de NE: Obrigatório o Uso das Notas Explicativas – termo contábil
  • Utilização do Plano de Contas Unificado: O Plano de contas “geral”, padronizado, ou seja, uma numeração igual para todos os municípios, acerca das contas contábeis do poder público.
  • Bem comum e depreciação: voltado para a conservação do bem público e do efeito "tempo" em sua utilização.
  • LRF e outras consolidações da nova legislação (1): Lei de responsabilidade fiscal e demais novidades nas leis brasileiras
    Deste modo, vemos que seria um absurdo dizer que a contabilidade brasileira não está alterando-se. E se no setor público as mudanças são maiores, apesar de considerarmos as facilidades de adiantamentos e licitações (tomada de preço), concomitantemente, serem muito “esguias” para os padrões de transparência e à aplicabilidade dos princípios contábeis, mesmo ao passo que, as pequenas empresas resistem bravamente ao adequar-se as Leis e a nova contabilidade - e a isto, chama-se jeitinho, onde há um disposto em lei, mas a população acha um modo de "trapacear" as leis, "jeitinho"; porém, em contraparte, nota-se, também, o grande esforço do Governo em usar de lisura e clareza em suas “operações”, ou melhor, a prestação do serviço e a oferta da coisa pública, enquanto ele mantém seu esforço a fim de que as pequenas economias no Brasil (ME, MEI, EPP), regularizem-se (auto-regulamentem-se) e consigam crescer e empregar mais – só se esquecem que sem uma política de gestores (tanto públicos, como do terceiro setor, quanto consultores para as pequenas empresas) não há como crescer ordenadamente, e a gestão, também é de fundamental importância para o bom sucesso nas atividades das empresas e por conseguinte, o bom sucesso de todo o país, alheio aos problemas de fora, porque no Brasil, temos condições de sermos um economia autossuficiente, haja vista nossa proporção territorial (fatores climáticos, inclusive) e de recursos naturais, além de nossa economia dinâmica (e com capacidade de expansão) e nosso crescimento populacional.
    De todo modo, as novas regulamentações e disposiçõs legais estão em pleno vigor. Resta-nos saber como se dará as fiscalizações e como a população, e o próprio poder público, se comportará frente a 5° Edição do Manual CASP, e demais atualizações, em convergência às normas internacionais.


    [1 - NOTA DO AUTOR: antene-se com o novo – #DICA: crie uma alerta do Google, funciona assim: você escolhe um tema e quando tiver alguma matéria, texto, o que for, novo sobre o assunto, o Google automaticamente lhe envia um e-mail com o(s) links(s) do assunto, e você ainda pode escolher a frequências com que receberá estas atualizações, sites como o JusBrasil – que pública artigos e teses, além de outras utilidades – também tem sistemas de alerta, este material tem este sistema e o meu reverbnation permite inscrever-se em e-mail-list, receber cartas escritas por mim aos fãs de minhas mixagens... … … .]

O Que [não] pode acontecer com uma cidade em quatro anos?


    Eu era um pesquisador de 29 anos, em 2010. Como alguns de vocês devem saber, eu só decidi a "levar a vida" à sério, ou "ganhar a vida", após os 28 anos. Isto porque eu tinha conhecimento da maldição dos 28 anos - Drummond fez até um poema com aqueles que morreram jovens e posso citar, Janis Joplin, Jim Morrison, Mario de Sá Carneiro, Álvares de Azevedo, Cássia Eller e Amy Winehouse. Claro que não sou um verdadeiro (ou grande) artista como estes e outros maravilhosos nomes que acabaram por falecerem cedo e cessaram suas produções artísticas, mas como eu era dado a boêmia, aos vícios (do álcool e do marginalismo), até aos 28 anos eu vivia despretensiosamente, e mais apenas produzia poemas, rpg e textos, além de mixar e realizar trabalhos artísticos ou voluntários - mas, mais bebia e chapava, mesmo; só em 2009, fiz um curso do SENAI e comecei a ver a sociedade com outros olhos. Em 2010 eu era pesquisador, e com essa vivência, comecei a olhar a sociedade, ainda com olhos críticos, mas também, com critérios estatísticos e dentro de certos parâmetros "funcionais".

    O que quero dizer com esse parágrafo acima é, sobretudo, que muito pode-se mudar em quatro anos. Falando por mim mesmo, eu sai de um estado alcoolismo crônico, irremediável, que meus amigos já estavam apostando para ver com quantos anos eu iria morrer, para, agora, estar no último ano da faculdade de Contabilidade (além de estar cursando o My English On Line, no 3° Módulo), realizei estágios (curriculares e não obrigatórios), projetos-pesquisas e trabalhos voluntários.

    E a cidade o que mudou? Bairros forem construídos (tantos os condomínios fechados, caros e "seguros", quanto os bairros do Governo), mas houve a preocupação com o transporte público, comércio, serviços públicos e cumpriu-se, a rigor, todos os dispostos em leis, no que tange a construções e urbanismo público? Houve planejamento, e controle acerca dos gastos das obras públicas e das medições e revisões nas tomadas de preços públicos? Aquela creche, aquela escola, aquele asfalto, aquele esgoto, e naquele bairro distante, que não tem mercearia, nem postes de iluminação pública, sistema de escoamento da chuva - o que o poder público fez pelos que vivem a margem do social, em quatro anos?

    Eu parei de beber,  de ficar nas noitadas, de enlouquecer-me por tolices, eu consegui chegar ao 4° ano sem nenhuma DP (dependência - recuperação), entreguei todos os trabalhos, todos os estágios, teses, fiz projetos, elaborei planilhas, criei blog, mixei, disse um complicado "Hi" aos russos, descobri o twitter, reforcei minha amizade com Eduardo Waack, procurei emprego, divulguei as técnicas de controladoria - tudo isto à pé, fazendo cursos on line, detalhe sem ter net em casa, sem ter verbas para pagar lan house, e, mais importante ainda, ao mesmo tempo em que tento manter-me o mais fiel possível aos princípios da sinceridade e da verdade. Isto eu, sozinho.

    Agora, o Poder Público deve parar apenas de focar-se em obrar, digo, deve parar de fazer obras mais e mais faraônicas que consomem muitos e muitos recursos, e devem se focar mais em atitudes que de fato melhorem a vida da população e não apenas repercutam efeitos em números e dados estatísticos.

    Assim, muito pode-se fazer em quatro anos: um diploma de nível superior, dois diplomas de nível técnico, estágios, teses, consolidação do fim de uma doença incurável... E se isto vale para nós, que somos, pura e simplesmente, pessoas exclusivas, o que dirá dos Governos que são a soma de diversos coletivos e estão, cada dia mais, fortalecidos com os recolhimentos recordes de impostos e taxas, com as coligações e com o "conglomerado-dos-aliados"?

    MORAL DA HISTÓRIA: Se depende de cada um, mudar sua vida, intimamente, em quatro anos; depende de bons governantes, trazer avanços concretos e definitivos à sociedade, no mesmo período de tempo.



OBRIGADO, Você!!!

Obrigado por acompanharem este blog, meu twitter (@novalluz), meus perfis no soundcloud (e Promo DJ e Reverbnation, também), como o edsoNNando, além de outras alcunhas (nomes, apelidos) na web, como Livros do Edson e Ed Son Nando, sempre mixando, escrevendo e publicando ideias já não tão novas, mas que ainda soam como novas, em épocas de mentes que se esquecem facilmente do que foi o ontem.




IMAGEM BONUS: Chegando ao Fim


Matão/SP, Setembro de 2014

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

II ♣

Livros do Edson

Postagem



 →  II

(2 de Paus)

as dualidades que devem coexistir e evoluir juntas.



PALAVRAS DO AUTOR:

2° Quinzena de Agosto / 2014 - Prefácio da Postagem 92


Seria muito fácil e pouco evolutivo, se tudo na vida,

Se baseasse apenas naquilo que temos afinidades -

"então você só atrai semelhante para a sua vida,

e nada lhe tira de sua zona de conforto?

Então, também você nunca aprende com o diverso

E nem se aprimora, ao passar pelas experiências conflitantes?



o Dois de Paus (II ♣) trata de um conjunto de forças e esforços,

situações ou seres que se atraem ou se sentem atraídos,

para juntos empreenderem alguma coisa concreta -

todavia, tal conjunto de seres e esforços não é homogêneo,

e, qualquer oposição maior do que a que já há,

tende a evocar animosidades instintivas...




Isto é o    II  de   ♣   


  • são dois limites que não se complementam, mas se ponderam;

  • são duas forças: poderosas e necessárias; mas, não harmoniosas;

  • uma escolha entre duas alternativas, duas possibilidades, que tendem a ser incompatíveis; e, por fim,

  • dois fatores estranhos e controversos, que necessariamente devem estar em uma mesma equação.

Boa leitura, e navegação, também.





Vídeo YouTube



 MAYSA - Ne Me Quite Pas






RPG


A Pedra da Lei - Continuação da Urna Cúbica de Platina.

    É incrível, mas a Urna Cúbica de Platina, já foi elaborada, desde o início, para ser publicada, se tornar filme, ou ser postada em um blog - como o é hoje. Acontece, que a Crônica em si, levou cerca de 11 anos para ficar pronta - por isto mesmo, dizíamos que "postar" a Urna Cúbica de Platina, levará mais de décadas, porque ela foi escrita em, mais ou menos, dez anos. O Narrador original da Crônica, Edson Souza, levou cerca de 7 anos só para entender o jogo Mago: A Ascensão e escrever até o ponto final do labirinto da Coifa. Mais três anos jogando a crônica (escrevendo Capítulos até a Alta Arcádia e a Autoctônia, o Cosmos Verdadeiro...) e mais um ano de desenvolvimentos posteriores, isto sem contar o tempo dispendido para digitar (digitalizar) e publicar (postar), a mesma crônica, no blog, em que agora você lê, prezado Leitor. Mais textos suplementares (e bem explicativos - claros - como este, que pode ser lido à seguir) serão postados neste url.

    Assim, a própria crônica da Urna Original tinha estes textos, onde o Narrador, de tempos em tempos, lia aos jogadores, esclarecendo alguns pontos - e, em alguma postagem deste blog, talvez Conheça o RPG, na parte da Umbra Astral, foi transcrito um grifo (conto, profecia, lenda de Garou...) do Chris East sobre um dos prováveis desfechos dos personagens. Na própria página da Urna, II e subsequentes, veremos mais destas falas magnas do Narrador da Crônica.

    E agora, a seguir, um dos prefácios originais da Pedra Lei - a nome que a crônica assumirá quando os jogadores tiverem posse do Talismã:

Pedra da Lei. 

    Tudo começou em 1997, quando Edson adquiri o livro Mago: A Ascensão. Depois de sete anos, em 2004 começa-se a jogar a 1° História do jogo que iria vingar pra valer - um história com regularidade, um jogo com audiência - a Urna Cúbica de Platina, um jogo essencialmente de Mago com pitadas de Lobisomem: O Apocalipse.

      Ou seja, isto se refere a desde o começo do jogo, onde os Magos iriam ter que interagir com os Garou, através da personagem do Joelson. E se mantem depois, com encontros com espíritos e viagens a reinos umbrais.

      A partir disto, o jogo se tornou épico: Com Incursões aos reinos umbrais (espirituais); Intrigas com a Tecnocracia; Viagens Temporais; Reinos na Idade Média; a Presença ameaçadora de Demônios; o Mundo de 2022 (ou de 2034); e a Arcádia e a Altíssima Umbra.

     Nos reinos espirituais já é possível notar a imensa e maciça presença de outros seres (exóticos) do Mundo das Trevas, os Sprites, claramente inspirado nas fadas de Changeling: O  Sonhar (ainda em Changeling, o Troll é um bom exemplo da sintonia deste jogo de Mago com toda a cosmologia e diversidade cultural do World of Darkness), além da Dragonesa, da parte da Tumba do Lord Hund (inspirado em Múmia: A Ressurreição, etc). É interessante notar que o autor da crônica, não tinha todos estes livros (apresentados no final) em 2004 e só foi em 2010, que o autor acabou por concluir a bibliografia indicada, ao final deste texto.

     A interação com a tecnocracia é notável, também, e, para tanto quanto, no mundo de 2022 (ou 2034), assim como é notada no princípio do jogo, afinal, de um modo ou de outro, o jogo se passa pós 2000, uma fase em que Xino deveria estar velho e um tanto quanto debilitado, no mundo físico. E pós 2000, certamente, é terreno fértil para o paradigma tecnocrata.

     Na viajem temporal temos o Lorde Visconde "333" Talos Perdix (Rsavalà), que faz parte da inspiração em Demônio: A Queda com Mago. Na viagem temporal temos ainda a influência total do cenário descrito em vampiro: A Idade das Trevas.

     E no mundo atual além dos debates de estilos entre a visão tecnocrata e dos magos tradicionalistas, temos ainda, um sub-fundo noir, de Destiny's Price, que corrompe (ou diverte, depende do ponto de vista) os adormecidos com drogas, armas, sexos e corrupção política e policial. Manha e Mendicância parecem nunca serem demais em cenários de fundos, como estes...

     E assim, para melhor entender todos os enredos complexos e subtramas sutis desta gigantesca crônica de Mago, indicamos a seguir, o conjunto de todos os livros do sistema Storytelling, que foram usados para a criação e narração desta crônica (alguns livros sequer foram usados em jogo, mas servem, sempre de uma boa referência, de um modo ou de outro):


|_____________________/_____________________|



Bibliografia Utilizada 

[Um asterisco indica um bom material de referência para esta crônica. Dois asteriscos indicam uma ótima referência para o jogar e o desenvolver desta crônica]


  •     Mago: A Ascensão, 2° Edição **;

  •     Destiny's Price *;

  •     Lobisomem: o Apocalipse (Xerox) **;

  •     Vampire: The Players Guide;

  •     Caçadores Caçados ;

  •     Changeling: O Sonhar  *;

  •     Múmia: A Ressurreição  *;

  •     Vampiro: A Idade das Trevas  **;

  •     Demônio: A Queda  *;

  •     O Guia da Tecnocracia  *; e o

  •    Livro das Sombras: (e/ ou) Guia das Tradições [livro(s) não utilizado(s), mas sugerido(s)].




Quadro sobre a Crônica d'A Urna Cúbica de Platina






Nem Tudo na Vida é Mensurável


I'm coming out and now my vision is so clear
If I could change my state of mind
Then I would disappear
The love I get from you
Is something I can't chance
Then I could let you slip away without a second glance
Why can't I realize, I'm fighting for my life

Woah-oah-oah-oah
Woah-oah-oah-oah

Woah-oah, oah, oah
Woah-oah, oah, oah

This is like a flashback
This is like a dream
This is like all the things
You can fit inside a memory - Calvin Harris - Flashback


    Nem tudo na vida tem medida, para todas as outras coisas, temos a ciência contábil. Mas este texto não é sobre contabilidade, mas sim sobre, as outras coisas, aquelas que não se pode medir - e isto não é um comercial de cartão de crédito, também. E crédito não é um dinheiro que você não tem tem, na verdade, crédito é uma modalidade de financiamento, que se bem usada, pode ser uma ótima arma nas mãos dos consumidores - e como quase tudo, a diferença entre o veneno e a cura é apenas a dose, os próprios soros são feitos à partir das toxinas. Senhores, vamos explorar aquilos que poucos veem valor. Aquilo que não podemos medir. 

    A contabilidade está relacionada - não, aos impostos e taxas, apenas, não!! - , está intimamente ligada com a apuração do resultado; dizer o que aconteceu contabilmente com uma empresa, é apurar como ela estava no início do período e como ela se encontra no final do período. Isso se aplica ao que é mensurável ou não, mas se não for mensurável deve ser estimável. De um bem estimável, disse-se de marcas, patentes e direitos autorais - entre outros -, e, não é possível precisar, exatamente, quanto vale um bem intangível, mas pode-se chegar o mais perto possível deste valor x - utilizando-se  das ferramentas certas, dos contabilistas. Cada transação de jogador de futebol no mercado (europeu, principalmente), a respeito daquelas somas altíssimas, é devidamente apurada e estimada, como prêmio por títulos e participações, direitos de imagem e propaganda, royalties, etc e etc.

    Mas para aquilo que não se pode estimar? Como reagir? Ainda, contabilmente, deve-se usar o Princípio Fundamental mais apropriado, por exemplo, como mensurar o valor da água, do ar, da vida? Para cada caso e aplicação, há uma procedimento contábil correto, valor mediano de renda (ou vida estimada) da pessoa (ou do bem), multiplicado pela quantidade de anos (ou de tempo de uso) - é apenas uma fórmula geral de estimativa. Mas mesmo assim, devemos assumir que não se pode medir, exatamente, a força do amor, da maternidade, da paternidade, da caridade sincera, da amizade verdadeira e dos momentos únicos do existir?

    Para isto não há tratamento contábil, nem mesmo Goodwill, cabível! Atentamos que coisas assim deveriam realmente nos importar e é para onde deveríamos voltar as nossas atenções mais afetuosas.

    Como deve ser auspicioso ter a capacidade da fala mansa, em público. Onde, ao ouvir um disparate, calmamente, se tem a capacidade de explicar, de expor, de modo esclarecedor e pacífico ,um outro ponto de vista, ou uma consideração mais pontual.

    Pelas ruas, ouve-se, "Crédito é um dinheiro que você não tem". Na verdade, os populares fazem esta associação, pelo motivo das "funcionalidades" de crédito e débito de cartões bancários, assim dizem que o débito é para quando se desconta o "dinheiro" na hora da compra, basicamente, e crédito, é para quando você está "fiando" a fatura da compra. Todavia, toda operação de crédito tem um custo, evidente ou não, e mesmo as operações de débito, podem ter taxas e tarifas, em certos casos, para os comerciantes, no Brasil, qualquer operação financeira com cartão tem um custo de uso, e mesmo as operações com dinheiro, acabam tendo custos extras, como impostos, seguros e contribuições. Assim, é muito tolo quem se crer esperto em achar apenas que "débito é dinheiro que se tem, e crédito é dinheiro que se 'fia'", na verdade, tudo é muito mais complexo do que de fato se apresenta, e ainda assim, existem muitos que só querem enganar os outros, em números elevados a 4° potência, ou pior ainda.

    Sabemos como é, deveras, árduo, viver, em um mundo, ao que tudo indica, 98% capitalista, sem ter nada mais que contabilizar além de contas do seu passivo circulantes (dívidas e pendências de curto prazo, até um ano) e protestos consolidados (dívidas permanentes), todavia, creia-nos, o mais-mais, o maior e mais importante dos tesouros desta terra, em que vivemos, não são os tesouros materiais, são os tesouros que não podemos medir, nem mensurar; onde nada, nenhum esforço, que façamos, para tê-los, somente para nós, dará certo, porque são os verdadeiros bens, que o próprio Cosmos quis nos dar e que assim seja, uma vez que por mais que nós fizéssemos forço, nós não seríamos capazes, de sequer, imaginar algo tão grandioso, como acabou sendo tal tesouro imaterial que a Magnitude das Coisas quis nos presentear.





Esboços



NOTA: Nesta sessão (Esboços) do nosso blog, teremos um conteúdo diferenciado e, na medida do possível, inovador, além de antenado às novas tendências - sejam elas realmente novas e inéditas, ou sejam elas retrowaves (ondas-retrô, que traz para a voga uma tendência, considerada como ultrapassada) - , ou seja, tudo isto pode se resumir em uma só palavras - esta sessão diz de "conceitos".

Mas detalhe: a sessão Esboços traz conceitos que não estão inteiramente determinados ou plenamente concluídos, diz de probabilidades que ainda não se cumpriram inteiramente, e pretende especular sobre tudo aquilo que há de ser, mas ainda, não necessariamente, realmente, o é.


E começamos com desenhos 3d com texturas, sombra e luz. Esperamos que gostem e compartilhem!!!





Sal Soturno - Arte 3d Simples






Sal "Inner Light" Soturno - arte 3d com alguns efeitos de luz e sobreposições.






Vídeo YouTube



PASSAGER 10 - Mirage (EDX's 5un5hine Remix)







Álbuns Essenciais... Belle & Sebastian




Quadro : Discografia do Belle & Sebastian. Esta informação está exatamente igual aos dados fornecidos pelo Belle & Sebastian e-mail oficial.


Vídeo YouTube



BELLE & SEBASTIAN - There's Too Much Love







Arte do Post

(".jpeg" e ".gif")

Certezas Abstratas &

Rupturas das Certezas Abstratas



Arte ".jpeg" → Cérebro Abstrato





Arte ".gif" → Abstratismo Rompido






Arte: State of Rotate. Feita especialmente para esta postagem.

















Releitura - State of Rotate (animado)


 Até a próxima, pessoal; e não deixem de visitar as outras páginas deste blog e de acessar outros conteúdos de Edsonnando, Hu Man Nite, @novalluz (alcunhas e nomes artísticos de)→ Edson Souza



 

Arte Final - O Mato do Edson

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Brazilian Folks



Postagem 91 do Blog autoral de Edson Souza


Livros do Edson

 → Brazilian Folks 

Gente Brasileira

off to the service - offline works - off of you


Postagem 91, dedicada àqueles que são como nós - sensíveis e verdadeiros.

EDITORIAL : Por que será que algumas coisas não funcionam, nunca? Dizem que se uma canção é boa na versão original, o remix nunca sairá bom. Do mesmo modo que se diz "santo de casa não faz milagres". E por que em casa de ferreiro, os espetos são de pau? Por que será que os inteligentes e bem intencionados em laborar, por vezes, encontram-se sem emprego e renda, enquanto aqueles que tratam mal seus subordinados, difundindo as culturas da cupidez, da arrogância e do mal gosto, desfilam como os poderosos chefes de setor, líderes e supervisores?
    Há muitas teorias para isto, a mais aceita é que semelhante atrai semelhante, e em ambientes estressados, de cargas histéricas e de idiossincrasias, não haveria a possibilidade de haver um supervisor deveras excelente, uma vez que a "sina", a energia do ambiente a que nos referimos, não comportaria uma pessoa de postura otimista e espiritualizada. A Ciência Quântica está aí, para comprovar a quem ainda se diz cético e que só acredita vendo (como Tomé, o Dídimo), que em certo nível subatômico (quântico), matéria, energia e pensamento tratam-se, apenas, de uma coisa só, e plenamente interligada. Porém, ainda na área da física quântica, tudo é fluxo e ondas - nada é realmente comprovado, senão por meio de probabilidades: a normalidade é uma curva de probabilidade.
    De todo modo, temos que dizer o novo, não tão novo assim, mote que inventamos: "Tudo Cessa!" Onde, mais do que tudo passa, há um ponto onde as coisas terminam; assim, prezado, não ande a murmurar sua sorte, sua sina obscura que lhe faz ser obrigado a parar de fumar cigarros super finos, beber catuaba refinada ou ter que andar milhas e milhas a pé, nada disto, nada de autopiedade - somos adeptos da teoria que cada um está onde deve estar, mas não de acordo com os méritos deste planeta, desta existência, nada disto, mas sim de acordo com as missões que resolvemos passar, os karmas e dharmas que optamos por viver, e mais, tudo cessa, só o que é perfeito não cessa nunca e assim, aproveite esse momento, pois pode ser que ele nunca mais volte à sua vida, ou às suas vidas.
    Mas algumas coisas, não dão certo, mesmo. São as fórmulas químicas revolucionárias que não funcionam, e pior, podem conter tragédias em si, ou são os demonstrativos contábeis que são elaborados de modos descondizentes com a realidade da empresa - ou pior, de todo um país - , são as páginas de html do google blogger que começam errada desde o começo (Como a Urna Cúbica de Platina e as Páginas de Poemas e Prosas deste blog, a página de identificação autoral do blog, etc), são as imagens de 640 pixeis de largura por 4440 pixeis altura, que os navegadores e os programas de edição de html5 nunca conseguem processar, ou mesmo, a desconfiança popular em achar que alguém não pode ser bom em mais do que uma coisa (ouça Assobiar E Chupar Cana, De Benito de Paula, o Edit do Hu Man Nite - por edsonnando), enfim, tem coisas que não dão certo, mesmo - mas nada nos impede de tentarmos de outro modo.
    O próprio edit do Benito de Paula, que eu, utilizando minha alcunha de Hu Man Nite, fiz, foi uma resposta a um erro. O site soundcloud disse-me que eu não poderia tocar esta canção, uma vez que ela já tinha seus direitos autorais resguardados, muito bem. Eu fiz o edit. Acontece que edits, remix, mixes, bootlegs (versões in-autorizadas) podem ser realizados desde que se utilize o creative commom rights, em tese seria para funcionar assim, mas nem todo copyright é commom rights - o selo está aqui neste blog, em algum lugar... Mas, sabem como é? sem net em casa... eu sei que está aqui o selo do creative commom mas não sei aonde...- , onde, uma vez que se diga a fonte da criação, pode-se apresentar novas versões.
    Mas, na verdade, isto no Brasil, segundo a Lei de Direitos Autorais, Lei 9.610 de 19 de Fevereiro de 1998, não existe, porque, de acordo com tal Lei, os artistas, mesmos os internacionais, estão sujeitos as leis brasileiras, e as leis brasileiras dizem que não se pode executar, transmitir ou divulgar fonogramas, total ou parcialmente, sem a expressa autorização do autor, exceto quando torna-se domínio público (e alguém respeita isto no Brasil?).
    Assim, eu defendo uma evolução a esta postura, eu creio que sets mixados, remixes, contos adaptados, textos livre-traduzidos, telas inspiratórias, e outras "releituras das artes" deveriam, todas essas versões de artes,  serem permitidas, ou seja, afirmo que muito do que dizem ser violação da lei dos direitos autorais, ser plágio ou apropriação indébita, ao meu ver, deveria ser revisto, e descriminalizado, e, por fim, transformado em ré-criações (não tenho certeza sobre este termo, ainda) ou ao menos permitido, nem que fosse 'permitido com ressalvas'.
    Mas talvez não seja hora disto ainda, pois como sabemos, o Mundo ainda prefere muito ódio e pouco amor (em uma clara referência a Guerra em Gaza). Gasta-se mais (esforços, recursos, etc) para matar do que para acabar com as mortes.
    Assim, se tem coisas que não funcionam, sem problema algum, nós fazemos de outro modo. Como o caso do edit, e no caso da urna.
    No edit, eu apenas mudei o "tamanho" da faixa, dei uma reduzida na canção, além de colocar muitos efeitos, e por fim, aplicar um nivelador - onde o espectro, a frequência da música, é totalmente alterada e o som soa totalmente diferente. E sinceramente, eu não entendo até hoje porque dj não pode tocar, mixar livremente, uma vez que ele está a divulgar os músicos, os artistas de suas preferências, e mais, os DJs deveriam ganhar singles e links para download das gravadoras e dos artistas e não serem reportado por infligir os direitos autorais. Mas, como dizíamos, o mundo ainda está muito fragmento, em n partes distintas e que continuam a se chocar.
    E sobre a Urna Cúbica de Platina, uma história incrível, mas que desconfio, que por ser imensa, e cheia de imagens, mapas, tabelas, textos, etc... trata-se de um grande problema para as tecnologias atuais (será que, ainda, a net não está pronta para pessoas como nós, avant garden, quando então será que vai ser?). Afinal, ela (a página da Urna) sempre deu problema para se atualizar, mas agora, não consigo mais corrigir nada, a página da Urna travou de vez. E então? Desistir?
    Claro que não. Já foi criado um site no wiz, onde está postada a Urna e mais, neste blog, será criada - ou já foi, o tempo é diferente para quem mais vive offline do que online - uma outra página A Urna Cubica de Platina 2 - onde serão postas aos NOVAS atualizações da Urna, ou seja, a continuação da Crônica, lembrando que toda história (crônica) já está escrita (os originais datilografados estão aqui comigo), só falta eu digitalizar tudo (um trabalho gigantesco, que desconfio que levará mais do que uma década).
     E é isto, falta só dizer sobre a contabilidade. Bem, como sabem, eu sou um ferrenho (assim me considero) um ferrenho crítico dos modos e da mentalidade do brasileiro (e a mentalidade que menos aceito é a dos evangélicos, que acham que seus hábitos - segregativos e tolos - são certos e que suas culturas - ou falta dela, pois muitos evangélicos só ouvem "hinos" e falam sempre as mesmas coisas, todo dia - é a dominante, eles só se esquecem que suas fé, infelizmente, foram forjadas por outros homens, para servir apenas aos interesses dos homens, e não do Sagrado), e não gosto apenas de criticar sem dar bons exemplos em contrapartida, e se digo que o empresariado brasileiro está muito arcaico e situado (parado no tempo) nos anos 80, nada melhor do que mostrar de que evolução estou falando. Sei que muitos contabilistas ou controladores podem ficar bravos comigo, porque eles cobram muito caro, por uma coisa que posto grátis na internet (no Blog) e mais, muitos não querem que o verdadeiro conhecimento seja disseminado, pois, ainda em contábeis, até os livros de Contabilidade Contemporânea são difíceis de serem adquiridos (pelo preço altíssimo e por políticas de distribuição "estranhas"); Mas, eu não sou à favor da segregação, de modo algum, e o conhecimento que eu souber vou transmitir, seja de um modo ou de outro, e desconfio que nem o fechar definitivo de meus lábios, venha a calar minha ideias.
    Porque há ideias que morrem com seus autores, de tão fracas que eram, ou então, ideias fracas se mantém, apenas, na base da ignorância; Mas, também, há outros tipos de ideias, as ideias livres e revolucionárias (evolução natural), que são tão poderosas, que nem o tempo, e nem o esquecimento ou o desinteresse da população, intencional ou espontâneo, podem atuar sobre elas, e jamais as abaterão, porque fazem parte da formação das novas civilizações - criam, em si, a base da formação das novas mentalidades sociais. E sobre isto, só o crivo do tempo dirá se este blog e os textos meus, do Edson, se enquadram nesta categoria ou não, porque por estes dias, parece que a gente brasileira não está lá muito interessada no que eu tenho a dizer.

    E, agora, com vocês, Brazilian Folks - jeitinho brasileiro? - pois, ora, amigo, você não achou realmente que eles, aqueles que se diziam bons, eram realmente auspiciosos, e, você acreditou quando eu dizia que eu era um tanto decadente? Tolo, eu apenas disse isto, para que você não estranhasse quando me visse andando no mato, ou nas estradas ermas, quando eu fosse me sentar no viaduto ou quando ficava à beira da estrada, ou, ainda, quando andava com os vagabundos, mas, na verdade, eu dou uma atenção especial a estas pessoas e lugares, a atenção que a própria sociedade, os governos e as pessoas não dão a eles. Por quê? Simplesmente porque eu gosto de fazer isto, gosto de ser, ou melhor, gosto de me sentir bom. E se é assim, porque não vou as igrejas?
    E as igrejas? Bem, sobre elas já dizia Gil Vicente há 500 anos, quando nem existiam essas igrejas de fundo de quintal ou os dogmas dos doídos varridos. O auto da Barca do Inferno diz assim sobre as igrejas:
    "Ouvir Missa? É igual a roubar, é caminho para aqui" (e o diabo aponta a porta do inferno!).

    Boa leitura, bons sonhos.... Obrigado por acessarem, e por me ajudarem a divulgar, este blog. E como diz um dos ensinamentos do livro do Pequeno Príncipe, tu és eternamente responsável por aquilo que cativas.



NOVIDADES DA WEB by Edson Fernando



  • A Urna Cúbica de Platina 2: Após, vários e vários erros ao atualizar a página da Urna, foi decidido por criar uma página à parte, que irá dar continuidade às histórias desta crônica, aqui neste blog. Esperamos que desta vez, os problemas sejam sanados. Link Aqui.

  • A Urna Cúbica de Platina no WIX: E, também, agora, a Urna, também estará disponível neste endereço aqui. > http://efsouzza.wix.com/urna-cubica-platina

  • Amigos do Edsonnando no Reverbnation: Poxa a vida! Tem tanta gente boa no meu perfil do reverbnation, que será até uma injustiça citar uns nomes e não citar outros, mas todavia, não posso deixar de citar algumas pessoas, entre elas:

  1.  
  2.  
  3.  
  4.  

    • Amigos do Edsonnando no Soundcloud: No soundcloud também, tenho vátios amigos, quase todos são super djs e músicos profissionais, entre eles, destacam-se:

      1. Francis

      2. Fadem

      3. Dotch!

      4. Roma Dub

      5. Marcie


    • Google Bussiness, Google Schoolar and Others: Apesar das "mancadas" do Google em achar que eu sou um hacker ou um plagiador descarado (nem um e nem outro), estou a elaborar dois outros perfis, o do Schoolar e do Mybussiness, ainda estão em processos de averiguações, do adsense, eu tive que desistir, porque o Google não acha o nosso blog aqui interessante, e vem com uma desculpa esfarrapada de que eu não posso provar que eu sou o editor desta url (endereço web). Links → 

      Scoolar 

      My Bussiness




    Arte do Post

     

     

     


    Gira Cana - Traços, Cores e Filtros

    criado com o Inkscape - julho 2014 by Edson



    REMIX → projeto

    Bruno e Marrone - edsonnando's Medley (letra, apenas)


    Sinto muito mas não permitiram que o som fosse uploaded.
    [motivo: copyrights da Sony/BMG e da RCA - in-autorizada reprodução]

    Quando acordei pela manhã,
    Senti um perfume que há muito,
    Muito tempo não sentia.

    Olhei depressa ao meu redor
    E apalpei o seu lugar
    Em nossa cama tão vazia.

    Eu que cheguei de um sonho bom
    Chorei ao ver tudo acabado
    Tanto amor, tanta doçura.

    Mas o perfume era real
    E acreditei estar ali
    Sua presença de ternura.

    E de repente vi, você sair
    Com a toalha [enrolada] no seu corpo.
    E se agarrar em mim
    Como nos velhos tempos de amor tão loucos.
    Nada mais sei de nós
    Porque morremos abraçados no desejo,
    Na doação total
    Perdidos na loucura desses beijos.

    Se eu aprendesse a viver sozinho
    E o coração pudesse ser metade,

    Levaria esse amor devagarinho
    Pra não dizer que hoje já virou saudade.

    Senta que eu vou abrir um vinho,
    Agora que começa uma amizade.

    Tinha tanto pra dizer,
    Tanta coisa pra fazer,
    Coração se escondeu

    E calou a nossa voz,
    E se já não somos nós,
    Foi descuido meu e seu.

    Se a gente beber demais
    E se já não for capaz
    De saber o que é razão,

    Seja o que Deus quiser,
    Se eu quero você quer,
    Posso ler seu coração.

    Queremos mais,
    Queremos muito e muito mais,
    Nossos desejos são iguais,
    Mil anos de paixão,

    Queremos mais,
    Até a lua adormecer,
    O sol nascer pagar pra ver
    E ainda sim queremos mais.

    Queremos mais,
    É terra, é fogo, é água, é ar,
    Nossa vontade de amar
    E descansar na solidão,

    Queremos mais,
    Eu quero e você muito mais,
    Que diferença isso faz -
    É sangue, é alma, é coração.

    (fade) "Se a gente beber demais
    E se já não for capaz
    De saber o que é razão,

    Seja o que Deus quiser..."

    "Passou da conta agora chega",
    Está escrito em seu olhar,
    O sentimento quando acaba,
    Coração então desaba,
    Dá vontade de chorar.

    O beijo não é mais gostoso,
    Fazer amor não dá prazer,
    Já não te sinto em meu abraço,
    Só eu sei o que é que eu passo
    Com essa falta de você!

    Vai amanhecer
    E dessa vez eu quero acordar sozinho,
    Vai ser melhor pra nós,
    Vai ser melhor pra mim,
    Vai ser melhor assim.

    Vai!!!
    Vou te esquecer,
    Se você já não me quer mais na sua vida.
    Eu vou lembrar você,
    Mas tenho que esquecer,
    Nossos caminhos já não tem outra saída.

    E eu pensei que nunca ia te perder,
    Mas tudo que vejo,
    Faz lembrar você.
    Espero outro dia, pra te ver aqui,
    De um jeito tão carente,
    Sorriso transparente,
    Se agarrando em mim.

    A vida vai passando e tudo é tão igual.
    Um pranto no meu rosto
    É feito um temporal.
    É o vinho que embriaga,
    É o pão de cada dia,
    Eu era tão feliz,
    E juro!,
    Eu não sabia.

    E nada é mais difícil que viver sem ti,
    Sofrendo pela espera de te ver voltar,
    O frio do meu corpo pergunta por ti
    E não sei onde estás,
    Se não tivesse ido
    Eu era tão feliz (Refrão Cheio 3X) .



    Letras extraídas das músicas24 horas de amor / Queremos Mais / Passou da Conta / Se Não Tivesse Ido


    Edição da Sonoplastia (dos fonogramas originais) foi feita por edsonnando [arquivo pessoal]

    E realmente é uma pena, mas ainda não é possível ouvir este medley.


    Esta é a verdeira nova música sertaneja, ou the new brazilian folk.




    O Brazilian Folks

         Um caboclo desalmado, com uma espingarda, no meio no mato, portando mais armas e armadilhas, caça seu tatu para depois comê-lo, enquanto aguarda a verdadeira caça da noite, uma onça, que será transformada em tapete e vendida por um preço injusto, pois nada paga a falta que a predadora fará ao seu meio ambiente. E segue-se, mais à frente no estradão, o passo torpe dos tropeiros, que vão desmatando, para construir rodovias, ferrovias, a cada dia, mais martírios, ao passo que a biodiversidade se perde, e muitas espécies da fauna e da flora, entram em extinção - graças à cupidez e a ganância humana. O violeiro afina seu instrumento, para tocar um moda imerecida aos "trabalhadores" que só fazem as coisas, para ter dinheiro, porque, por amor, nem sexo eles fazem.

         O bruto homem do campo, o moderno homem da cidade que vai ao mato destruir, ambos são parte do brazilian folks, eles acham que a viola toca para eles, mas mal sabem que são eles é que fazem a viola tocar para eles, e tudo o que conseguem, conseguem com ameaças, estupidez, e medo - os bichos do mato fogem deles, e se pêgos nas terríveis armadilhas do homem,  sofrem, por saberem que suas vidas terminará ali.

        O índio nada pode fazer, porque ele próprio teve que se vender à sociedade, e a sociedade, em contraparte, queima o índio, porque tudo que se consome da sociedade, a sociedade o consome pelo outro lado, é a suruba do meio social, onde, na frente, dá beijinho melado, e atrás, enfia o fumo, a seco. O índio canta seu verdadeiro cântico folk, que ninguém ouve, porque índio é pagão, infame e decadente, mas foram eles que conservaram a terra até hoje, não os índios vivos, mas os grandes espíritos dos índios massacrados e mortos, em pretensas buscas humanas atrás de ouro, madeira e terra - isto acontece em 2014, e aconteceu em 1514. Quinhentos anos de martírio e injustiça, e todos fecham os olhos, assam as costelas gaúchas, na terra e se pudessem, comeriam suas próprias filhas, enquanto tomam cachaça e pedem que as suas mulheres cozinhem  uma galinha, ou melhor, um frango assado. São os canários da paisagem,que vão sumindo, à medida que o homem afasta-se cada vez mais de onde veio, mas quando a natureza mostra sua força, deve-se, apenas, calar a sua boca. Ou sofrerá as consequências.




    CARTAZ DO POST

     

     

     

    Divulgação da Contabilidade Contemporânea.
    Feito pelo autor do Blog.



    Desmatarão [Des Mat(ar)ão]

    Opinião Paroquiana

        Se a cidade de Matão foi planejada pelo grande baluarte do espiritismo brasileiro, o memorável senhor Cairbar Schutel, em contraparte, esta mesma cidade deve ter sido corrompida ou transformada, pelas próprias mãos da Maldade egoísta e mesquinha. Uma vez que a Matão de 2014, em nada se assemelha com a Matão dos anos 90-80 (que dirá da Matão do início do século XX); e, não dizemos, apenas, sobre o Parque Ecológico (ginásio de esportes) e da Matinha do Bosque, que por terem sido feitas por outra administração pública, que não é/foi a atual administração, que está a mais de uma década no poder, acabou por se deixar tudo terminar em nada, e ao contrário do patrimônio público depreciar, ele acabou por ser, e ainda o é, depredado, e isto tudo está sendo feito pelas próprias autoridades públicas, que, criminosamente, ignoraram as manutenção que deveriam ser feitas e só rebaixaram tais lugares citados, como "pontos de marginais", justificando assim, o abandono - prezados, se tem algum marginal nestes lugares é justamente porque o poder público não está por lá.

        Mas não é sobre a administração pública em si que pretendemos dizer, afinal, what was done is done (o que foi feito está feito), queremos ressaltar outros pontos muitos mais graves, uma vez que o que temos a dizer é sobre a falta de educação, de respeito que a população tem para com si mesma: há uma certa intolerância no ar, onde, por exemplo, não se pode passar à pé, em ruas de casas sofisticadas, cheias de construções contemporânea, azulejos decorativos, enfim, não se pode passar à pé por estas ruas, senão já se atrai a atenção dos moradores, que pensam que alguém os quererá roubar. Será que Emmanuel Kant, se vivesse hoje em Matão, iria ser proibido de realizar os seus passeios filosóficos, para não perturbar o sossego "aparente" da vizinhança - uma vez que bairros novos, que nem casas dos dois lados das avenidas têm, já veem com as placas sinalizadoras dizendo "proibido buzinar - fazer barulho - , inclusive de som automotivo" ?

        Claro que isto se deve pelo fato destes bairros serem de classe média/alta, pois se fosse um bairro popular ou de classe E/D, jamais iria acontecer isto e mais, tem outra, em bairros mais humildes, quem reclama de som alto, fica marcado para sempre, e mais ainda, os vizinhos fofocam entre si, como se houvesse algum erro em dizer "gente, para com esse funk absurdo, semi-crentes, desliguem esses hinos irritantes". Assim, claramente, as pessoas não se respeitam mais, e pior, elas querem competir mais, mesmo, umas contra as outras, entre si, sem pudor algum - e se o duelo do século XIX havia acabado, agora, começou uma nova modalidade de duelo, o debate entre os diferentes que não se aceitam, jamais, e isto só prolifera a segregação (que este blog e tão contra), onde as pessoas se disputam em silêncios, fazendo ameaças zeladas e praticando um bullying descarado, mascarado em reformas e aquisições sem sentido algum.  Mas, ao nosso ver, tudo isto tem uma causa só: falta de educação.

        Mas não se trata de qualquer educação, falamos de educação cidadã, a própria polícia e o poder público, deveriam explicar à população (seja nas escolas ou através de palestras e workshops) o que vem a ser o respeito ao outro, e mais, onde começa o direito do outro e mais ainda, que existe outras pessoas por perto que devem ser respeitadas. Ou alguns leitores não creem que seja um absurdo não se poder andar à pé pelas ruas sem que os moradores da região desconfiem? Para nós, isto é um estrupo ao nosso direito de ir e vir. O mesmo vale para o som dito evangélico, que para nós, nada tem de sagrado, senão da parte do interessa ao homem e as igrejas feitas pelos, e para os, homens; e onde estaria a moradia, como asilo inviolável do ser? E se não quiséssemos ouvir o som dos outros, mas que teríamos que ouvir, quando nos fazem ouvir, obrigatoriamente, graças ao volume exacerbado, ou quando ouvem em carros, no meio da rua, ou mais ainda, quando gritam junto e repetem infinitamente, à exaustão, uma tolice em semi-formas de acordes musicais - onde está o nosso direito, resguardado na constituição, de ter no lar, um asilo inviolável?.

        Esta liberdade exagerada, acabou com qualquer possibilidade de diálogo franco - votamos em quer nos doa cestas básicas, dentaduras, em quem vai fazer "política" para os nossos. Nós só queremos ter empresa para contratar nossos próprios familiares, e só pensando em nós, e ainda dizem, que assim, estamos fazendo o melhor pela humanidade - ideia original de Smith - , mas e o sofrimento, e a segregação que causa essa paroxismo todo, e os gênios que se perdem em pedras de crack, em corotes de cachaça? E quantos outros valiosos, sem uma ajuda, sequer, das assistentes sociais (ou de qualquer outro profissional, ou Santo que fosse), e sozinhos com suas forças de vontades, acabaram por conseguir se libertar dos vícios do alcoolismo, do tabagismo, da drogadicção e continuam marginalizados porque nem família e nem sociedade lhes dá valor? Pois, afinal, fica uma marca em quem se liberta, que os outros jamais aceitam - por acharem que isto não é possível. E mais, muito mais, quantos não querem se fechar em condomínios, com câmeras de seguranças, controle de entrada e saída na portaria, guardas armados, cercas elétricas, além de grades nas janelas, e arrame farpados e estacas nos murros? E tudo isto, pura e simplesmente por intolerância ao outro? Mas é a isto que a sociedade chama de evolução e melhoria social? Mas parece que isto ninguém vê, e pior seria se realmente eles vissem isto e nada fizessem para mudar.



    Nietzsch-do



    Ei, homem, excita o cérebro!!!,

    Que diz a profunda meia noite:

    Tenho dormido, tenho dormido!

    De um sonho profundo despertei:


    E agora são dias novamente que não se repetem mais

    E a mediocridade humana passa à medida que nos afastamos dela;

    Todavia nunca deixarão de desconfiar de nós

    - simplesmente porque eles sabem "Nós não somos como eles" e mais,

    Nós não nos acasalamos no frio, nem no calor.


    Nós somos os evolutos

     que sabemos que não deve haver luto algum

     porque se a vida foi realizada - a mágica não será perdida.

    Já me libertei uma vez, e posso fazê-lo novamente,

     Quantos podem dizer isto? Você não consegue ver a superação nisto?


    Quantos abrem mão de sua felicidade para a paz alheia?

    E nisto existe mais do superado do que apenas decretar

    A sua Vontade como a certa e verdadeira.


    Afinal seria muito fácil para o homem inteligente

    enganar ou ludibriar os seus semelhantes,

    Mas que benefício haveria nisto - fortunas na terra?

    Mas quem disse que é a Terra que importa ao homem superado?



    Que diz a profunda meia noite:

    Como conservar o homem mais tempo?

    De um sonho profundo despertei:

    Que importa o homem, queremos o homem superado!



    Por que insistir tanto em manter uma cultura antiquíssima?

    Se o novo é a ordem natural de tudo?

    Por que valorizar tanto a juventude se é na velhice

    Que temos a maturação das capacidades intelectuais do ser?


    Como as boas bebidas,

    Quanto mais tempo se conserva uma ideia,

    Mais ela ganha força e amplitude.


    Deixemos que o tempo fale por nós,

    Deixemos o novo, deixemos o velho!

    Cada um tem sua utilidade

     E tolo aquele que só busca um.



    Como conservar o homem mais fútil por mais tempo

    É o que diz a profunda dor que não passa.

    Mas quando de um sonho profundo se despertar (se dirá):

    Ei, Homens, excitem o cérebro na suas superações!!!




    Edson - inspirado na Obra de F. Nietzsche




    Sons do POST


    VA - After Hours 1 - mixed by edsonnando

    LINK

    Belle & Sebastian - Century Of Fakers


    PNAU - Solid Ground


    Cher - All Or Nothing (  )


    Mundo Livre S.A. - Bolo de Ameixa


    Krafwerk - Hall Of The Mirrors


    Pink Floyd - The Gunner Dream







    Hey, Você, espera!

    Não vai se embora sem o

    Meu Muito Obrigado

        Só tenho a agradecer por tudo, tudo que vocês, meus novos amigos da internet tem me proporcionado. Para mim pouco importa se os conheço pessoalmente ou não, o que sei é que são pessoas valiosas, pessoas intimamente poderosas; vocês são, sem dúvida, grandes artistas, escritores, músicos, designers, rappers, djs, enfim, são pessoas excepcionais, e que bom que vocês visitam este blog, ouvem meus sets, meus edits, muito obrigado.
         Também aproveito para agradecer a compreensão, afinal, quantas misturas cabem neste blog? E podem ficar despreocupados, eu não sou um hacker (um cracker muito menos - e, os bugs deste blog, são causados pelos widgets na lateral esquerda, e quando os identifico, eu os elimino).
        Lembram-se do avatar do edsonnando  no soundcloud, é um red hat até hoje. Red hat diz-se de quem usa o Linux OS, especificamente, Mandriva, mas apenas para divulgar coisas boas e salutares. E por isto não mudei a foto do perfil daquele site até hoje, não achei nada mais apropriado.
        Eu faço realmente tudo o que posto, eu produzo tudo que ponho na rede (mixagens, imagens, textos, contabilidade, designer...) e agradeço a compreensão de vocês por eu nunca ter sido hostilizado (e nem desejaria sê-lo) por postar tantos conteúdos diferentes. 
        Assim, só agradeço, aos meus amigos de reverbnation, grandes músicos, rappers, poetas.
        Agradeço as minha conexões de linkedin que prestam atenção nas coisas que digo e me dão valor - mesmo por eu estar sem sorte para emprego desde 2012, bem mas não quero reclamar de nada, no mais estou aqui, firme e forte e cada vez mais lúcido, em um mundo em que cada dia mais, as pessoas querem se mostrar insanas (nada contra os loucos, eu andava com uma garrafa de vodka pelas ruas, mas em determinado ponto, eu percebi que aquela vida não era para mim, eu percebi que eu poderia ser mais, escrever, mixar, desenhar, dar as mãos a quem sofre... dar um olhar de afeto a um animal de rua).
         Enfim, eu só tenho a agradecer (e para mim, agradecer e desculpar, nunca são demais) a possibilidade que eu tenho de me comunicar com pessoas da Rússia, da Alemanha, da Polônia, da Índia, UK, USA, África, penso nisto tudo como algo, no mínimo, incrível, não acham?
        Eu poderia levar a vida como os brazilian folks, nas coxas, na moleza, no jeitinho, na surdina, mas não, eu quis o caminho mais difícil, as rotas dos espinhos, e olha o resultado.
        Assim, mande um twitter para @novalluz, se quiser, que assim que eu puder responderei.
        De todo modo, entre em contato, aprecio culturas diferentes e rebuscada, e eu gosto muito de receber feedback - mande sua música para eu ouvir ou mixar, envie uma foto, faça o que quiser, porque
        Amigo, a internet somos nós, e tenha certeza, as coisas que fazemos ficarão para sempre, porque os clichês podem até parecer que estão com tudo e que estão no comando, aparentemente, mas, prezados, apenas, os mais criativos e eruditos, os verdadeiros, como nós, e os nossos, são aqueles que podem ultrapassar as suas eras, e chegar até aos tempos futuros.
        Muito Obrigado mesmo, de verdade! <3
    E até mais...











    Arte  da Última Hora

    - para você que vê até a última palavra e o último pixel


    See ya,  até logo!!!