Translate

blog de Escritor: Edson Fernando


(interação: Aperte CTRL + ou CTRL - para ajustar o modo de visualização)
Aproveitando as imensas facilidades do mundo on line e, também, aproveitando o imenso conteúdo que tenho de material escrito, resolvi transcrever uns livros on line.
É um projeto longo, acho que vai levar um tempo, mas as semente foram lançadas. E ora, os frutos, os frutos serão os mais variados possíveis, como agregar novos leitores e aumentar a minha visibilidade,além de proporcionar um pouco de diversão e cultura gratuitamente a todos vocês.Espero que gostem!

Boa Leitura, Leitores Amigos.

Esta publicação confirma a minha propriedade do Web site e que este Web
site respeita as políticas do programa e os Termos de utilização do Google
AdSense. partner-pub-0072061571065124

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 Unported License.






Visualizar perfil de Edson Souza no LinkedIn




Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 18 de julho de 2015

O Uso da Remediação, da Precaução e da Previsão nas Empresas




O Uso da Remediação, da Precaução e da Previsão nas Empresas:
Os Três Tipos Básicos de Manutenções – Corretivas Corretivas, Preventivas e Preditivas –  
& O Controle TPM – Total Productive  Maintenance, isto é, a Manutenção Produtiva Total. *


Por Edson Fernando de Souza, 2009. Trabalho de Curso Técnico Fabricação Mecânica (FM1T).
SENAI Oscar Lúcio Baldan. Obtida nota máxima (100%), sendo o Avaliador o Prof. Hércules.


RESUMO:
O presente estudo técnico de manutenção industrial (revisado sobre a ótica da contabilidade, inclusive), investiga os sistemas comuns de manutenção e suas consequências para a empresa, do ponto de visita operacional, da produção, tal como algumas explicações sobre os seus impactos na contabilidade da entidade empresarial. Foi optada por ser utilizada a revisão de literatura. O texto ainda inclui alguns documentos e figuras sobre tais sistemas de manutenção. E conclui-se que através da manutenção TPM ou Preditiva, repousa algumas das respostas para os problemas de produtividade, ociosidade e melhor aproveitamento dos recursos e da vida útil de todos os elementos de máquinas e de seus insumos (inclusive na questão da sustentabilidade e da conservação planetária). *

Palavras Chaves: Sistemas de Manutenção; Sistemas de Controle; Equipes e Atualizações Profissionais, Máquinas; Elementos de Máquinas. *


INTRODUÇÃO  *

Muitas são as confusões quando os sistemas de manutenção não funcionam corretamente. Porém, quem supor que Manutenção tenha apenas relação com o pessoal operacional, os técnicos de manutenção, muito se engana; pois, até mesmo na manutenção com o grau menos complexo de planejamento necessário, a Manutenção Corretiva, existe uma opção gerencial nela, isto é, por exemplo, não ter uma equipe sem a posta a realizar a manutenção, mas sim ter parceiros contratados para tal. *
O mesmo vale ainda mais intensificado para a manutenção Preventiva e para a manutenção Preditiva. Os sistemas de controle TPM devem estar integralmente relacionados à alta gestão e administração da empresa, a fim de que a produção condiga com todos os demais aspectos das atividades da entidade empresarial. *
O objetivo do texto é explorar e questionar as práticas atuais de manutenção, e apontar que existem caminhos mais bem sucedidos e menos arriscados do que manter hábitos de manutenções menos sofisticados (e mais perigosos). *
O presente texto foi escrito em 2009 em um curso técnico de fabricação Mecânica e foi revisto agora (julho 2015) pelo autor, e nesta última versão foram acrescentados conhecimentos de contabilidade. *
Os  asteriscos nos finais de parágrafos e ou frases, além dos asteriscos ao lado da Fonte das Imagens, Quadros, Figuras e ou Ilustrações, dizem que estes conteúdos foram acrescentados na Revisão de 2015, revisão feita pelo autor original. O presente estudo omite alguns padrões da ABNT de artigos Científicos, como os de citações, formação, etc, apenas por ser orientado ao pessoal de nível técnico, e  pelo conteúdo do texto ser voltado à preocupação com a assimilação, e não ser orientado ao formato-lógico destas mesmas informações. *


1. TIPOS DE MANUTENÇÃO

1.1.1. Manutenção Corretiva (Remediação)

“Equipamento parou, manutenção conserta imediatamente” (Anônimo adágio da manutenção corretiva).

A frase acima é uma máxima da filosofia da manutenção corretiva. E, de fato, têm-se mesmo visões filosóficas sobre este assunto: as máquinas estão ligadas a esforços, esses esforços a podem quebrar e, certamente, as desgastam de diversos modos, e é justamente neste aspecto em que os profissionais técnicos de manutenção mecânica devem entrar em cena e realizar o que for necessário para ocorrer o reparo.
Especialistas da área de saúde afirmam que o organismo humano é uma máquina perfeita, e se até mesmo esta maquina perfeita – que em muitos sentidos, repara e conhece a si mesma – acaba por se “quebrar”, entre aspas; pois bem, se máquinas perfeitas sofrem com a ação do tempo e dos esforços, e desgastam e quebram-se, o que se dirá das máquinas não prefeitas, que precisam de profissionais técnicos (e, alguns casos, até mesmos de engenheiros) para que se realizem os reparos necessários?
Empresas que trabalham a base da Manutenção Corretiva vivem em constante “caos”, ou em um possível estado de caos; uma vez que não se sabe nunca ao certo quando é que uma máquina vai apresentar problemas para que finalmente possa ser reparada. Ou seja,  nunca se sabe quando essas máquinas quebrarão e quando alguém deverá ser chamado para solucionar o problema.  Isto é apenas parte da equação. A outra parte deste problema diz do tempo ocioso em que os funcionários da Manutenção Corretiva aguardam até que as máquinas quebram para que finalmente possam estes funcionários trabalhar.  Sobre muitos sentidos, a Manutenção Corretiva é conhecida também como Manutenção as Pressas.
Reitera-se, por fim, que há um caos em potencial nas práticas da Manutenção Corretiva. Toda a produção para quando a máquina apresenta problema, e a equipe de manutenção técnica deve agir, imediatamente. Mas se esta equipe não puder agir imediatamente? Ou pior, e se as máquinas a apresentar problemas forem imensas e importantes demais, como um Navio Cruzeiro em alto mar ou um Trem de Carga e Passageiros em seu percurso nas montanhas? Por estes motivos, que alguns setores não devem optar pela Manutenção Corretiva.
Ao caráter de fixação, ressalta-se que a Manutenção Corretiva, então, é aquela que se dá mediante o surgimento do problema. Tem como lado positivo, o caráter econômico, uma vez que tais profissionais técnicos de manutenção podem ser contratados só para fazerem tal tarefa (sem necessariamente integrarem o quadro de funcionários fixos da empresa); e tem como lado negativo, o grande entrave / obstáculo que este tipo de Manutenção causa a Produção, além da possibilidade destes acidentes (e rupturas) das máquinas (que sempre ocorrem com este sistema de Manutenção) poderem, também, ocasionar sérias perdas, como catástrofes, e ou a possibilidade do convívio com situações caóticas.
Abaixo, uma imagem refletindo como as falhas e os gastos com a manutenção Corretiva tendem a serem maiores com o decorrer do tempo, uma vez que este tipo de manutenção “aguarda” mesmo que problemas ocorram para que só após possam ser remediados, isto é, se houver ainda uma solução plausível. *


Imagem 1: Relação da Manutenção Corretiva com o Tempo e o Custo
Fonte: Pesquisa do Google Imagens. *


1.1.2. Procedimentos

Será fornecido nos Anexos (no final desta pesquisa) um modelo de Ficha de Execução (figura 1), códigos de natureza das avarias e as causas de avarias (figura 2), de acordo com Telecurso Mecânica de Manutenção (2000). Ainda será apresentado um Modelo de Relatório de Avaria.
Assim, com estes documentos em mãos, e ferramentas a posta, é hora de executar o trabalho, e como são máquinas complexas, com muitos elementos, etc, é recomendado, sempre que apenas profissionais com cursos Técnicos (e profissionalizantes para ajudantes, e Engenharia Mecânica, para supervisores e / ou coordenadores de Manutenção) desempenhem tais tarefas.  De tal modo, como se deve observar e atuar in loco, isto é, em campo, e anotar em planilhas ou fichas aquilo que estiver de acordo com a situação da máquina e do problema, recomenda-se que o que for observado e feito deva ser informar nos documentos citados; deve-se informar nos relatórios e formulários; deve-se realizar o trabalho que for necessário, se houver todo o material necessário ao reparo, todo o conhecimento e equipe (e recursos financeiros), apenas; ou mobilizar o que for preciso, o  mais rápido possível, para que a manutenção seja feita; ou ainda remarcar ou cancelar.
Sobre o preenchimento dos modelos em anexo, há algumas recomendações. Deve-se preencher a unidade ou área onde o equipamento está; a data do reparo; o equipamento em si, o conjunto e o subconjunto dos elementos de máquina; o trabalho a ser feito (na teoria); e na prática, o trabalho devidamente realizado; o tempo de “parada” de Produção, sugerido, segundo o Material do TeleCurso 2000, com os códigos, tal como código 00 para emergências e 11 para manutenção programada (se for o caso); e, por fim, preencher os campos de natureza da avaria e causas da avaria de acordo com as tabelas padrão, com muita atenção. Atenção porque estas tabelas estão em constante transformação, em evolução, de modo que o mais correto é se informar sempre, estudar e se manter atento às atualizações possíveis e ou tratativas e técnicas novas. E sempre, deve-se atentar-se a causa real do problema, o reparo devido, e o reparo de fato realizado.
No verso da Ficha de Execução (figura 1), preenche-se o chapa (funcionário), a data, o início (hora), o término (hora e dia), e a duração do trabalho (em horas) – é recomendado que o verso fosse preenchido pela equipe operacional e a frente desta ficha de Execução pelo Supervisor de Supervisão.
Depois que o trabalho tiver sido realizado, torna-se necessário enviar um Relatório de Avaria (vide Modelo no Anexo) ao setor de Engenharia de Manutenção (quem o produz fica  a cargo da política de cada empresa); e essa é a chance de corrigir ou de modificar o projeto original da máquina (se possível) aperfeiçoando-a. Esta também é a chance do técnico fazer sugestões que possam possibilitar um melhor trabalho. E ainda pode indicar o momento oportuno em que um Auxiliar de Manutenção pode demonstrar um pouco de suas capacidades de observar e resolver problemas, etc. Neste preenchimento, redige Unidade, Equipamento, Conjunto, Subconjunto, data,  natureza, avaria e causa da avaria, bem como sugestão de melhoria.
Não há um padrão de códigos de avarias, reparos, equipamentos, etc, e isto tende a dificultar o trabalho (e o entendimento dos relatórios) de uma empresa a outra: um problema comum que equipes de Manutenção Corretiva devem enfrentar em seus dia a dia de trabalhos de prestação deste tipo de serviço. Assim, cada empresa tem suas tabelas de códigos próprios para as tratativas de Manutenção.



1.2.1. Manutenção Preventiva (Precaução)

Se a Manutenção Corretiva espera o problema surgir para só depois solucioná-lo, a Manutenção Preventiva, em contraparte, obedece a um padrão previamente esquematizado, onde se estabelece paradas periódicas com a finalidade de se permitir a troca de peças, óleos, correias e etc; além de trocar os elementos de máquinas gastos pelos novos elementos, a fim de assegurar o funcionamento adequado da máquina. Isto porque, se uma peça de um conjunto de máquina estiver trabalhando de forma irregular, haverá, fatalmente, uma sobrecarga nas outras peças e assim todo o conjunto estará comprometido.
O conceito de Manutenção Preventiva diverge muito da Manutenção Corretiva. Com a experiência, os industriais perceberam que as máquinas funcionavam sem parar até a quebra, apresentavam diversos problemas no processo. Tais problemas poderiam ter sido solucionados antes da grande quebra, com, por exemplo, com uma simples lubrificação adequada. Mas, para entender a magnitude da manutenção Preventiva deve-se entender de Funções Administrativas.
Por hora, deve-se saber que  Sistemas (conjuntos de partes integrantes e interdependentes que unidas, formam um conjunto unitário com objetivos claros e funções específicas) seguem um Planejamento (ordenar ideias, fixar cronogramas, estabelecer objetivos, quantificar e qualificar os recursos de RH, tanto como os Recursos Financeiros, do mesmo modo que se preocupa com os Recursos Naturais) dentro de uma Organização (como a empresa e as pessoas se comportam perante certas situações propostas ou situações problemas), sendo verificado por um Controle (é o comando, quem estabelece o padrão, ou quem faz com que o padrão seja atingido, medindo o quão perto do centro da meta as atividades da empresa estão; esta meta vem do planejamento; além disto, o Controle verifica as operações empresariais, avalia o desempenho, fixa as correções, analisa números e tabelas, etc e etc). Deste modo, é evidente que a Manutenção Preventiva está intimamente ligada a Alta Administração da Empresa, ou seja, é Política da empresa, que pode, ou não, estar ligada as questões da sustentabilidade, da Responsabilidade Social e de outros conceitos da Administração Contemporânea.
Isto se trata apenas do básico da Administração, uma rápida explicação sobre as funções e a estrutura administrativa comumente aceita nas empresas.
O método preventivo está ligado ao Planejamento e Organização (tal como no Controle, mais presente; e na Execução, algumas vezes); e é uma garantia, às pessoas da produção que o controlam, dentro de uma faixa de erro aceitável, sempre a entrada de novas encomendas – e que possam alterar o planejamento da atual Manutenção Preventiva, quase sempre, o antecipando, em virtude de aumento nas encomendas, em exemplo hipotético.
Isto porque, neste Sistema, tudo funciona dentro da conformidade (compliance, inclusive) e das previsões, assim sendo, não há atrasos alguns; e com clientes satisfeitos, sempre haverá, inclusive, novos pedidos, e maiores, provavelmente. *
Na Manutenção Preventiva tudo deve funcionar perfeitamente, seguindo um cronograma, corrigindo defeitos no processo e nas máquinas, permitindo assim uma maior compreensão do Sistema da Organização (aberta), ou seja, tudo funcionando em ordem, dentro e fora da empresa.
Ressalta-se que a manutenção preventiva nunca deve ser confundida com o órgão de Comando (Controle), apesar dele também ditar algumas regras de condutas a serem seguidas pelo pessoal da fábrica. Porém, os autores do Telecurso 2000 de Manutenção Mecânica afirmam que o Controle não é totalmente soberano em relação à palavra final sobre a Manutenção Preventiva, mas sim que a Manutenção Preventiva cabe apenas, e imponentemente, por dar apoio ao Sistema Organizacional da Fábrica. Afinal, o segredo dessa manutenção está justamente em todos entenderem claramente do que ela trata, ou seja, todos os níveis da fábrica devem colaborar para com o sucesso da Manutenção Preventiva.


1.2.2. Objetivos da manutenção Preventiva

São basicamente cinco os objetivos das empresas e em todos eles, a Manutenção Preventiva tem algo a lhes oferecer, seja em curto, médio, ou em longo prazo. Abaixo, tais tópicos de modo sintético:
·         Redução de Custos: Neste sentido, a manutenção atua para aproveitar o reaproveitável, além de que horas ociosas são amenizadas e  / ou peças que sobraram são usadas, assim substituindo peças de novas compras, que são adiadas.
·         Qualidade de Trabalho: Com as práticas da Manutenção Preventiva tornam-se, as máquinas, mais eficientes; além de que o abastecimento tende a ser optimizado; assim, o trabalho de todos devem seguir regras para melhora do aproveitamento dos recursos e do tempo dos processos da empresa.
·         Aumento da Produção: Obviamente, se as máquinas são planejadas de modo que nunca parem devido a falhas e rupturas, ou nunca darem pane, a produção não só não para e segue cronogramas, como também pode ate mesmo apresentar aumentos significativos, tudo dentro do programado.
·         Efeitos ao Meio Ambiente: Certas empresas têm graves problemas com a questão ambiental, a Manutenção Preventiva pode acabar com a Poluição dando um correto descarte e reaproveitamento a todos os agentes poluentes corrigindo os equipamentos que estejam com problemas, como exemplo, deste sentido.
·         Redução de Acidentes & Optimização dos Equipamentos: Manutenção Preventiva, inclusive, pode colabora com a prevenção de acidentes, uma vez que acidentes trazem problemas graves (como aumento dos custos, diminuição da produção ou diminuição da vida útil dos equipamentos); já a manutenção preventiva aplicada exclusivamente a optimização dos equipamentos pode aumentar a produção reduzir danos ao meio ambiente ou melhorar a qualidade do produto com máquinas funcionando perfeitamente.


1.2.3. Desenvolvimento

A seguir, serão fornecidas as diretrizes básicas à implantação da Manutenção Preventiva, caso a empresa ainda não a tenha:
·         Decidir qual tipo de equipamento marcará a instalação da Manutenção Preventiva, em conformidade com o tino do supervisor de manutenção e operação;
·         Realizar o Plano Piloto (levantar e cadastrar todos os equipamentos escolhidos para iniciar a Manutenção Preventiva);
·         Fazer um histórico dos equipamentos, onde pode conter: gastos com manutenção, tempo ocioso do equipamento por quebras produtividades;
·         Criar Manuais de Procedimentos Para a manutenção Preventiva, onde deve constar a frequência de inspeções em máquinas trabalhando e / ou não trabalhando, e as intervenções preventivas;
·         Levantar os gastos necessários de recursos de RH e recursos Materiais à perfeita instalação da Manutenção Preventiva;
·         Mostrar o Plano Piloto e os Relatórios à gerência e à Diretoria, para a apreciação destes departamentos, se eles aprovam, ou não;
·         Por último, localizar, preparar e treinar a equipe de manutenção, além de comunicar a todos da empresa o tipo de Manutenção que será implantada.


1.2.4. Execução da Manutenção Preventiva

De nada apenas adianta, a empresa contar com um modelo organizacional excelente, com um material sobressalente adequado, controlado e racionalizado, de nada adianta contar com bons recursos humanos e matérias, contar com ótimas ferramentas e instrumentos, se não houver quem saiba manuseá-los com primazia. Isto é, a parte instrumental e ferramental são importantes tanto quanto o treinamento da equipe que irá operá-los e zelar por eles. Aliás, como a empresa trata suas ferramentas? Esta pergunta é muito importante.
Ademais a parte ferramental e de pessoal, temos também o Controle da Manutenção. Na Manutenção Preventiva, é preciso manter o Controle de todas as máquinas com o auxílio de fichas individuais, desse modo, se faz o registro das inspeções mecânicas de máquina e, com base nessas informações, traça-se o Programa de Manutenção.
A respeito da forma de Operações do Controle, segue dois sistemas no subcapítulo a seguir.


1.2.5. Controles: Semi Automatizado &  por Microcomputador

SEMI AUTOMATIZADO: a intervenção preventiva é controlada com o auxílio do computador e com a intervenção corretiva, geralmente obedece ao controle manual (figura 3, nos anexos). O banco de dados do sistema semi-automatizado deve fornecer as informações necessárias para serem feitas as requisições de serviços, incluindo as rotinas de inspeções e execução.
Dos relatórios do computador devem constar: o tempo previsto e o tempo gasto para a manutenção, os serviços realizados, os serviços reprogramados, ou seja, os serviços cancelados temporariamente ou adiados. Assim, com tais dados em mãos, o supervisor consegue tomar as devidas providências. Nisto também, a ação da Tomada de Decisão é um procedimento de Administração de Empresas, e segue padrões e parâmetros bem estabelecidos, mas que não é abrangida pela presente pesquisa.

MICRO COMPUTADORIZADO:  Nesse Sistema, todos os dados sobre as intervenções de manutenção ficam armazenados exclusivamente em um sistema de informática (sem suas partes ou contrapartes físicas, em papel, por exemplo). Assim, os dados podem ser acionados rapidamente por monitores (ou telas, écrans) e impressoras, e alguns sistemas atuais, até certas intervenções esporadicamente podem ser realizadas de modo   automático pelo próprio sistema, de acordo com o cruzamento de dados e simulações virtuais. Nos anexos, também será mostrado esquematicamente este sistema (figura 4).


1.3.1  Manutenção Preditiva (Previsão)

É notada a evolução da filosofia da Manutenção Corretiva através da filosofia da Manutenção Preventiva, uma quebra para depois consertar, a outra não espera ocorrer à quebra para que se realize o conserto. A adoção desta evolução filosófica trás benefícios: após alguns controles e análises da manutenção preventiva, percebeu-se que era possível melhorar ainda mais o programa, corrigindo os defeitos e aperfeiçoando-o. Disso surgiu a Manutenção Preditiva.
Trata-se de um Sistema de Manutenção que indica as condições reais de funcionamento das máquinas com base em dados que informam o seu desgaste ou o seu processo de degradação / depreciativo. É a manutenção que prediz o tempo de vida útil das maquinas e de todos os seus elementos (nos casos cabíveis), e também,  indica as condições para que o “tempo de vida” dessas máquinas seja ampliado.
É um processo complicado e implica em utilizar instrumentos de medições específicos, como aqueles capazes de registrar as vibrações das máquinas, saber das condições da pressão, da temperatura, além de analisar o desempenho total e saber da aceleração, etc.. Uma vez estudado estes dados, toma-se a melhor decisão que geralmente, implica em dois Procedimentos: Diagnóstico e Análise da tendência à Falha.

DIAGNÓSTICO DA MÁQUINA (prévia da falha): Detectada uma irregularidade (ou verificada uma possibilidade ou potencialidade de falha), o responsável deverá estabelecer um diagnóstico sobre a origem, a gravidade e o defeito. Tal procedimento deve ser tomado antes de programar o reparo.
A imagem abaixo é uma adaptação do autor sobre o diagnóstico de falha apresentado no material do Telecurso 2000, porém, algumas explicações são necessárias: Dentro do nível normal de funcionamento (4 estágios) temos as medidas periódicas normais das atividades das máquinas; a faixa de atenção tem valores mínimos (cerca de 34%) e valores máximos (de 67% a 70%); uma vez que se utiliza esta Manutenção, a Previsão consiste justamente em realizar os reparos necessários a fim de que a vida útil da máquina e de seus elementos seja prolongada ou reaproveitada. Como pode ser observada abaixo, a falha só ocorre  quando todas as outras tentativas de reparo não tiverem êxito (cerca de 97%). Considera 100% a quebra total. Considera-se 0% a máquina nova, na caixa (embalagem). Tudo isto está relacionado com Vida útil e contabilização, custos e etc. Quando ocorre uma falha irreparável, ou que o conserto demande muitos recursos (financeiros, humanos, etc) não é mais interessante realizar o conserto, neste caso, a vida útil da máquina chegou ao seu fim, ela atingiu seu valor residual, ela depreciou-se por completo. Porém, a manutenção Preditiva tende a delongar a vida útil das máquinas e de seus elementos, uma vez que isso de fato  suceda em chão de fábrica, o pessoal do Controle, e da Contabilidade, deve se atentar para recalcular o valor das Máquinas (Conta de Ativo Não Circulante: Imobilizado: Máquinas e Equipamentos: Máquinas da Produção), e ou realizar testes de Impairment (recalcular o valor corretos das contas contábeis, principalmente, Investimentos, Imobilizado e Contas a Receber). Isto ainda diz da  Resolução CFC 1255/2009, e do reajuste de recuperáveis do Ativo, isto porque em muitos casos há incentivos para a depreciação acelera para que se realize a adequação do maquinário ao atual momento tecnológico.  *


Quadro 1: Diagnóstico de Falhas.
Fonte: Elaborado pelo Autor, adaptado do Telecurso 2000 de Manutenção Mecânica.

Ao seguir, no fim deste capítulo, uma nota da Revisão (quadro azul, em português do Brasil) desta Pesquisa sobre o Impairment Teste e VRA (Valor Recuperável de Ativos).


ANÁLISE DE TENDÊNCIA DA FALHA: Este outro tipo de processamento implica em prever antecipadamente, preferencialmente, a avaria ou a quebra em potencial; tendo como finalidade, todo este processo complexo, evitar as desmontagens desnecessárias, reduzir drasticamente as panes, aproveitar ao máximo a vida útil dos equipamentos, além de aumentar a tendência dos padrões normais de operação dentro da empresa.
O quadro abaixo ilustra todo o processo de optimização da manutenção preditiva.



Quadro 2: Manutenção Preditiva: Análise de Tendência de Falhas.
Fonte: Elaborado pelo Autor, adaptado do Telecurso 2000 de Manutenção Mecânica.

Como foi mencionada anteriormente, a manutenção Preditiva faz uso de aparelhos técnicos, além de análises em óleos, no estado das superfícies das máquinas, na análise das estruturas das mesmas; no presente estudo só é tratado da questão destes testes técnicos, sem aprofundar-se nos mesmos, uma vez que a intenção aqui é divulgar e explicar sobre as diferentes formas de manutenção. Além de ser ressaltada que a Manutenção Preditiva é a mais complexa (e completa, inclusive), e que para uma empresa ter tal tipo de Manutenção é preciso ter um programa bem definido, uma equipe apta para realizar o trabalho além de recursos e materiais necessários.
Tais dados técnicos (que dizem dos níveis de funcionamento das máquinas) devem ser coletados periodicamente (veja figura 5, nos anexos, para maiores detalhes). Todas as informações devem ser registradas em uma ficha (se semi automatizado), ou os dados devem ser inseridos no computador (em sistemas micro computadorizados), isto se em sistemas computadorizados o próprio sistema não alimentar os dados do mesmo. Estas atitudes permitem ao responsável pela manutenção preditiva tomar  melhor decisão possível.
A periodicidade da coleta destes dados tem como variantes: o número de máquinas a serem controlados, os números de pontos (valores) estabelecidos para a medição, e os meios materiais colocados à disposição para à execução dos serviços, entre outros fatores.
Finalizando, a Manutenção Preditiva tem como limites técnicos simplesmente a confiança, a confiabilidade dos parâmetros aceitáveis, os próprios instrumentos de medição (aferição) que são usados no processo, além da habilidade analítica do técnico ou do engenheiro mecânico envolvido nestas tarefas. Assim sendo, a manutenção Preditiva tem varias vantagens destacam-se a limitação da quantidade de peças à reposição, a boa imagem do serviço após a venda, assegurando o renome do fornecedor; além da diminuição dos custos do reparo e a melhoria da produtividade da empresa. O aspecto negativo é a sincronia que este sistema demanda, além dos já mencionados uso de modo sistémico e ordenado dos recursos Humanos, naturais e materiais.

NOTA A REVISÃO DE 2015
Atualmente, o autor deste estudo, tem conhecimento de contabilidade e controladoria, e isto o qualifica a também analisar o aspecto da contabilização destes sistemas de manutenção. Na manutenção Corretiva, quase não há alterações: simplesmente segue a tabela de depreciação (fiscal e do controle da empresa, se cabível) e ao final do prazo, aplica o valor residual, para a venda do equipamento usado, para o reaproveitamento de peças, e  dá a contabilização fidedigna com as operações da empresa. Na manutenção Preventiva, sem dúvida, há que se investigar a Valorização do Ativo, e possíveis ajustes de vida útil do Bem Imobilizado. Na Manutenção Preditiva, sem dúvida alguma, há que se realizarem os Testes de Impairment e a Verificação da Redução de valor recuperável de Ativos.
Em 2007, o CFC (Comitê de Pronunciamentos Contábeis, órgão de classe contábil que regula sobre tais práticas no Brasil)emitiu o pronunciamento CPC-01 definindo que, “a Redução do Valor Recuperável de Ativos visa assegurar que os ativos não estejam registrados contabilmente por um valor superior àquele passível de ser recuperado no tempo por uso nas operações da entidade ou em sua eventual venda”. E segue, “caso existam evidências claras de que os ativos estão registrados por valor não recuperável no futuro, a entidade deverá imediatamente reconhecer a desvalorização, por meio da constituição de provisão para perdas”. E mais, “A entidade deve avaliar, no mínimo por ocasião das demonstrações contábeis anuais, se há alguma indicação de que seus ativos ou conjunto de ativos porventura perderam representatividade econômica, considerada relevante”. E concluem, que “se houver indicação, a entidade deve efetuar avaliação e reconhecer contabilmente a eventual desvalorização dos ativos”.
Tais assuntos são regidos no Brasil pela Lei nº 11.638/07, que, entre outras coisas, altera a Lei 6.404/76 (Lei das S.A.s), determina que os valores dos ativos registrados no imobilizado, intangível e diferido deverão ser ajustados conforme a sua capacidade de recuperação, sendo os demais ajustados quando houver efeito relevante.
Ou seja, a relação entre manutenção, controle e contabilização é muito maior do que apenas um estudante de técnico em mecânica poderia supor. Questão mundial, destas novas técnicas de contabilização; mundial e atual.



  




2. IDENTIFICAÇÃO DE UM SISTEMA DE CONTROLE
Será apresentado o sistema de Controle TPM, evolução do Sistema PM.

2.1.1. TPM (Manutenção Produtiva Total)


Imagem 2: Os Cinco Pilares da TPM: Alvo nos Sistemas Concordantes e Sistemas de Atrelagens.
Fonte: Pesquisa do Google Imagens. *

Antes de qualquer coisa, como o texto é em português do Brasil, a imagem acima deve ser traduzida.  Ela fala da Manutenção produtiva Total com foco nos Sistemas de Acordos (em conformidade) e com alvo nos sistemas de atrelagens (de desenvolvimentos, execuções etc). Diz ainda de trabalho em equipe e de um processo contínuo de melhora. Sem tempo ocioso, e com ordem e disciplina. Neste estudo, foi optada por ser usada a estrutura dos cinco pilares: Pilar I  Eliminação do Problema Principal  – evitar a ruptura na produção, os acidentes, as falhas críticas, etc –; o Pilar II Manutenção Autônoma – isto é, a manutenção como um departamento e um sistema independente e inter-relacionado dentro da empresa –; o Pilar III – Manutenção Planejada, ou seja, ter um sistema complexo de Manutenção e Planejamento  –; o Pilar IV – Antecipação da Gestão de Novos equipamentos, isto é, desde a compra, pensa-se em uma máquina que tenha uma excelente produtividade com uma boa questão com a relação custo VS benefício –; o pilar V Educação & Treinamento no Trabalho – isto tem a ver com as equipes e suas  eficácias. *
Por longo tempo, a indústria funcionava com a manutenção corretiva. Depois vieram às mudanças advindas da Manutenção Preventiva, e depois a Preditiva. Outra ramificação da manutenção Preventiva é a TPM que trabalha com programas de manutenção preventiva e preditiva.
Os EUA criaram a manutenção preventiva e os japoneses desenvolveram em 1951 a PM (Manutenção Preventiva, como modelo no Japão), ou seja, daquelas épocas é que já começaram a surgir os primeiros debates sobre a manutenção, como sistemas; em 1960, esse conceito era uma diretriz entre as empresas altamente competitivas e produtivas. Mas novos conceitos forma aplicados aos já existentes, conceitos como respeito individual, sistema compreensivo e total  participação dos empregados nas atividades da empresa; e disto, em 1970, no Japão, surgiu a TPM, alicerceada em cinco pilares: eficiência, auto-reparo, planejamento, treinamento e ciclo de vida.
Isso leva a metas como defeito zero, falhas zero, aumento da disponibilidade do equipamento e lucratividade maior, assim, pode-se dizer, que os cinco pilares tem como base os princípios de: atividades que aumentam a eficiência do equipamento, através de estabelecimento de um sistema de manutenção autônomo pelos operadores; do estabelecimento de um sistema de planejamento de manutenção; estabelecimento de um sistema de treinamento objetivando aumentar as habilidades técnicas (e gerenciais *) do pessoal; e do estabelecimento de um sistema de gerenciamento de equipamento.
Assim, observa-se que a TPM busca melhorar tanto o material, como as máquinas, quanto o humano, quanto o operador (de alta rotatividade, inclusive *). Tudo isto objetivando um melhor rendimento e aproveitamento global. Tem-se ainda a questão de outro subsistema (Sistema, inclusive *) complexo subtendido: o dos oito S. Seiri, organizar; Seiton, Arrumar; Seiso, limpeza; Seiketsu, padronização; Shitsuke, disciplina, Shido, treinar, Seison, eliminar perdas; Shikari yaro, fazer tudo com determinação e união. Além dos oito S, tem também o subsistema de eliminar as seis perdas (por quebra; por demora na troca de ferramenta; por ociosidades; por produção em trabalho não linear; por defeitos produtivos; e por falta de rendimentos), e também, pelo subsistema de não permitir quebras em todo o sistema (ideal *).
Aliás, segundo o material técnico do Telecurso 2000 de manutenção mecânica apud TPM (*), para a TPM a quebra é a ponta de um iceberg, que só surgiu por ter tido como plano de fundo, elementos como ruídos, superaquecimento, vibrações, sujeiras, folgas, deformidades e outras atitudes erradas e sintomas  de erros.
Assim, uma vez que são sanados os problemas que levam a quebra, logo ela não virá a existir. Mas, para tal, é necessário que os operadores não permitam que haja nem os motivos físicos (como sujeiras ou detrimentos) e nem os fatores psicológicos (como a falta de interesse e a ociosidade).
A TPM oferece plenas condições para o desenvolvimento das pessoas, das maquinas e das empresas, e da sociedade e da conservação dos recursos dos meios naturais. Todos saem ganhando em autoconfiança, atenção ao trabalho, satisfação pessoal, conservação melhor de recursos, espírito de equipe, crescimento através de conhecimento de novas técnicas e procedimentos, maior confiança nas máquinas, diminuição de acidentes e da satisfação pelo reconhecimento.


CONSIDERAÇÕES FINAIS & REFERÊNCIA

Para finalizar, existe uma máxima de um anônimo que sintetiza bem o conceito básico por trás da Manutenção produtiva Total e da evolução da concepção de manutenção como um todo:
“A manutenção não deve ser apenas aquela que conserta, mas sim, aquela que elimina a necessidade de se consertar”. (Anônimo adágio da manutenção).


Manutenção Mecânica. Apostila do Curso Técnico em Mecânica. Telecurso 2000.

Pesquisas de Imagem pelo Google Images.

Uma Verificação Das Informações Sobre O Impairment Test Nas Demonstrações Financeiras Padronizadas (CVM) E No Relatório 20-F (SEC) Das Empresas Brasileiras Que Negociam ADRs Na Bolsa De Valores Dos Estados Unidos. Disponível em <http://dvl.ccn.ufsc.br/congresso/anais/2CCF/20080716213851.pdf> Acesso 18/07/2015. Usado nas citações do CPC.


  

ANEXOS

Os anexos foram baseados na Referência citadas, principalmente o Curso técnico de manutenção Mecânica. As imagens a seguir foram feitas pelo autor, com base nos desenhos e imagens (e dados) originais da fonte.



Figura 1: é tanto a frente quanto o verso da Ficha de Execução.





E este é um Modelo de Relatório de Avaria.








O que seria a Figura 2: tabelas; foi optado por ser transcrito, mas será mantida a definição de figura.


NATUREZA DA AVARIA e Códigos
Deslocamento de equipamento .............. 00
Ruptura ................................................... 01
Cisalhamento .......................................... 02
Trinca ...................................................... 03
Esmagamento .......................................... 04
Entalhe .................................................... 05
Perfuração .............................................. 06
Corrosão ................................................. 07
Erosão ..................................................... 08
Oxidação ................................................ 09
Engripamento ......................................... 10
Estrangulamento ..................................... 11
Entupimento ........................................... 12
Descarrilamento ...................................... 13
Aquecimento ........................................... 14
Des-regulagem ........................................ 15
Desaperta-mento ..................................... 16
Curto-circuito .......................................... 30
Cola-mento .............................................. 31
Perda de Propriedades Físicas ................. 32
Perda de Propriedades químicas .............. 33
Perda de Propriedades Térmicas ............. 34
Perda de Propriedades Elétricas .............. 35


CAUSAS DA AVARIA e Códigos
Líquidos Gordurosos Exteriores no Equipamento ...................... 11
Líquidos Não Gordurosos Exteriores no Equipamento .............. 12
Pó Químico dentro da máquina .................................................. 15
Incrustação  ................................................................................ 16
Corpo sólido exterior dentro da máquina .................................. 17
Falha de Filtragem ..................................................................... 18
Introdução de Ar No Sistema  ................................................... 19
Líquidos Gordurosos procedentes do Equipamento .................  21
Líquidos Não Gordurosos procedentes do Equipamento........... 22
Pó Químico procedente da máquina ......................................... 25
Introdução de corpo sólido ........................................................ 27
Influência da Umidade .............................................................. 31
Influência da baixa Temperatura ............................................... 32
Influência da Alta temperatura .................................................. 33
Atmosfera Corrosiva ................................................................. 35
Desgaste em Excesso ................................................................ 41
Falta de Isolamento Térmico  .................................................... 42
Abaixamento do Solo ................................................................. 43
Modificações geométricas dos suportes .................................... 44
Ligação errada ........................................................................... 49
Defeito de material .................................................................... 50
Erro de fabricação ..................................................................... 51
Peça de reposição não adequada .............................................. 52
Erro de Concepção ................................................................... 53
Defeito de Montagem ............................................................... 54
Má Ajustagem .......... ................................................................ 55
Manobra Errada da Operação.................................................... 56
Falta de Limpeza  ...................................................................... 60
Excesso de carga ....................................................................... 61
Desaperto .................................................................................. 62
Falta de Lubrificação ................................................................ 72
Choques ..................................................................................... 73
Vibração Anormal ..................................................................... 74
Atrito ......................................................................................... 75




Figura 3: Controle Semi Automatizado




Figura 4: Controle por computador





Figura 5: Programa Básico de Vigilância

sábado, 11 de julho de 2015

Brasil Trincado


Brasil Trincado
Postagem sobre o Brasil & o latino


Sobre: esta postagem




Poesia: Sem ser o Fundo do Mundo

Tem uma fenda na América Latina,
Um ralo que suga tudo o mais além das sungas.

Não apenas os desrespeitos aos direitos humanos
Não apenas a dor que não cessa e que só piora
Não só o ar que sufoca com hinos do capeta em louvor aos homens,

E os investimentos somem, e as obras não ficam prontas
E as corrupções comem soltas na cabeça das pessoas
E o pessoal do exterior pensa:

“Se roubaram no Brasil, porque deram um voto de confiança,
Novamente, no partido dos corruptos,
Ora, não é por que no Brasil
Todo mundo é corrupto e ladrão?” – Isto é o que pensam de nós.

Contanto que alguém lucre algum dinheiro imundo:
Os banqueiros a retirarem as casas das pessoas;
O governo a retirar mais de 50% de seus bens, em impostos;
As mulheres da vida, a te tirarem o sono e o sossego;
A bebida a lhe tirar a saúde e a clareza das ideias;
O outro, a lhe tirar a paz e o bem estar.

Não precisa assim ser:
Nem todos se voltam para o dinheiro imundo,
Leia os contratos, não os assine se não os puder pagar,
Faça valer a sua substituição tributária, pesquise por incentivos,
outras formas de economias, e de fazer engrenar o mundo.
Associe-se, sê cooperativo, inove-se,
E das mulheres e bebidas, siga seu critério
E saiba que tudo tem uma consequência
A esbórnia é aquilo que mais desgasta a tua alma.


Texto: O que é que o Brasileiro Tem?
O Brasil é um país cheio de graças. Uma costa marítima gigantesca; biomas impressionantes (Amazonas, Pantanal, Mata Atlântica, Cerrado, etc); fauna exuberante (tatus, onças, tamanduás, macacos, cobras, pássaros, etc e etc); minérios e joias; além da força dos ventos; da água potável; das grandes bacias hidrográficas (eu mesmo, neste momento, encontro-me sentado sobre a bacia do aquífero Guarany); isto sem falar das pessoas, dos índios e da História deste país: isto é Brasil.
Todavia, nem só de graças vivem os brasileiros. Nosso país foi, e é, ao longo de demasiado tempo, explorado através de uma mentalidade depredatória, do jeitinho e de obter vantagens nas coisas naturais e ou nas custas dos outros; é uma “filosofia” barata muito empregada no país (e que muitos latinos retrógrados seguem e querem perpetuar, à força da ignorância, claro). Os grileiros do Pará são assim, eles acham que a mata não é de ninguém, não tem dono, não tem registro lavrado em cartório, e por isto desmatam. A mentalidade padrão do brasileiro tende a acreditar que o bem das pessoas deve ser respeitado, os bens naturais e o bem estar em comunidade, nunca devem ser respeitados. Nós aqui, BR folks, alguns de nós, ensinam seus filhos de 10 anos a ir para o pasto pegar (prender) passarinho pra depois vender; quantas nascentes neste país não tem o nome dos sítios e propriedades ao qual nascem – a propriedade da água nunca será tanto de alguém como o é de todo a sociedade, mas, infelizmente, no Brasil, gostam de privatizar (no pior sentido da palavra) a coisa pública ou mesmo os bens naturais.
E assim se perpetua a cultura do descaso, da falta de zelo, as atitudes que só degradam e que são “louváveis”, porque é o que se ensina na instituição do lar.
Muitos criticam as novas famílias homossexuais com filhos adotivos, mas o fato é que não foram os gays que trouxeram o mundo (e o Brasil!) onde ele está, os gays não abandonaram crianças, pelo contrário, querem as adotar; a opressão da família tradicional, o “certo”, o dito errado, a ganância, a exploração torpe, e muito daquilo que se foi feito, ao se invocar, o bem estar da família, mas sim, foi mais responsável por trazer a sociedade onde ela se encontra hoje. Quero dizer é que os hábitos heterossexuais são mais decadentes do que os hábitos homossexuais, e que entenda isto quem puder. Assim este é um dos pontos bons do Brasil: casais gays podem adotar filhos. Mas isso revolta os carolas religiosos, mas ora, algumas religiões também são a causa de muitos males; mesmo que com pensadamente, para isto, elas também sejam a causa de muitas soluções. Todas estas coisas forma trincando o Brasil.
Mas as coisas boas que acontecem no Brasil são: união consensual reconhecida como legal, casamentos homossexuais (inclusive com adoções, mas ainda não são “casamentos”), nova lei de drogas que tende a levar a uma “normalização” de substâncias leves, ações de permitir o acesso e de manter este mesmo acesso, de crianças de 0 a 6 anos em ambiente escolar, política de transferência de rendas, bolsas de estudos, liberdade, ainda que tardia...
Não só de boas notícias vivem os brasileiros, muito pelo contrário. A questão do casamento consensual, mesmo, sofreu modificações severas em razão do CHAMADO ajuste fiscais. Pensões vitalícias passaram a ser cedidas apenas em caráter temporário às jovens viúvas (menores de 44 anos). As desonerações de folha de pagamento, que tinham vindo em boa hora, ao que parece, foram suspensas. Enquanto outros benefícios dos trabalhadores, ao contrário de serem ampliados e melhorados, foram dificultados e diminuídos.
Porém, ainda temos a liberdade que outros países da América latina não têm. Os custos fixos são altíssimos no Brasil, em contraparte. As famílias carregam um quê de uma sina tortuosa (como diz Nietzsche) que as leva a julgarem, segregarem, ensinarem atos sem juízo aos seus filhos sem consciência daquilo que precisam.
Neste sentido, esse blog gostaria de apontar três medidas que poderiam tentar salvar o Brasil do colapso produtivo e sistemático que o país está para enfrentar:
·        Não Obrigatoriedade de Voto e Requisitos para Ser Eleitor: Este ponto, como os demais, é muito polêmico e difícil de ser assimilado às pessoas mais sensíveis e que acreditam na democracia e na voz do povo. Porém, países que sofreram muito com a exploração e o cabresto nos olhos do povo, não podem ser adeptos da democracia totalitária. Muito pelo contrário. Acredito que a solução é a não obrigatoriedade do voto e mais, que só algumas pessoas possam votar. Estas pessoas ainda não foram bem definidas por mim, a cerca de 4 anos penso nessa ideia, mas deveriam ser pessoas estudadas, sem filiação política alguma, com ficha de antecedentes criminais OK, afeiçoado as leis e a vivência em sociedade, etc e etc. Mas deveriam ser pessoas cultas, instruídas e bem orientadas que apenas pudessem votar, isto é, até que comece a se praticar uma cultura homogênea de bem estar social, sustentabilidade e ética.
·        Diminuição da Jornada de trabalho para 6 horas diárias (Telecom 4 hs /dia): Os trabalhadores devem deixar de trabalhar comumente 12 horas no Brasil, como o é agora (e em alguns casos mais do que isto, considerando o percurso de itinerário). Os trabalhadores deveriam trabalhar 6 horas por dia (mais até 33% de horas extras / dia ou 200% horas extra na semana), resultando em 30 ou 36 horas semanais. Com isto, iriam ser necessários mais trabalhadores ou haver a readequação da produção para o novo número de horas, enfim; as leis trabalhistas deveriam seguir outras estruturas e outras possibilidades mais compatíveis com o momento atual e futuro do Globo Terrestre.
·        Justiça deveria ter o direito de regular sobre atitudes dentro das famílias: Este é o ponto mais polêmico destas ideias de Livros do Edson: como assim, alguém regular o que se pensa e fala nas famílias? Com a explosão dos dogmatismos selvagens e transitivos do século XX, as famílias tornaram a serem feudos de pensamentos, lendas, mitos e verdades. Há quem prega estupro para os seus em família, seja este ato deplorável feito em alheios ou próximos, há quem ensine o ódio e a selvageria em ambiente tido como familiar; e isto ainda, serviria para regular possíveis desvios de conduta, inclusive nas famílias de novas estruturas; entre muitos outros pontos. Isto entra ainda na questão do big brother (tele tela, de Orwell) e The Police Of Truth (Depeche Mode).

Quanto mais a gente vive, mas tem a certeza de que o futuro se parece com um seriado cyber punk, e que assim vai ficando cada vez mais. Ou você encara e vive o cyber punk, ou você entra num mundo cyber punk gótico, ou simplesmente, você não pertence a mundo algum.  E assim acredita-se que pode haver uma solução para os atuais problemas, mas estas soluções devem ser estruturais, de causar impacto (e de alterar para todo o sempre as estruturas das sociedades como as conhecíamos) mesmo. A própria crise da Grécia, do Brasil, da China, da Rússia e do mundo ocidental e dos valores padrões tidos e conhecidos como família tradicional, honra, “esperteza” e etc, não cabem mais, naquilo que está para ser cada dia mais o mundo.
A crise da Grécia eu não vou me intrometer porque devemos todos uma grande soma em dinheiro, artes e bens ao povo grego, pela sua contribuição ao mundo como ele é hoje. Os chineses, bem, tem uma postagem sobre economia neste blog que foi falado um pouco sobre o Brasil e a China, agora, o Governo quer investidores internacionais no Brasil: os Chineses para construírem a ferrovia transatlântica, os americanos para investirem em estradas, portos e aeroportos, os italianos para também investirem, tal como os russos, e por que não, portugueses?? Ora, porque não. O investidor internacional está desconfiado dos recentes escândalos de corrupção e roubo mesmo nas empresas estatais, e os investidores internacionais não são como nós (a copa do mundo é nossa); eles, os investidores, não esquecem fácil, as coisas pela qual nós passamos, simplesmente porque foi o maior escândalo de corrupção do mundo (superamos os italianos, com a máfia e tudo), depois teve também a goleada da Alemanha na copa 2014, a reeleição de Dilma, o investidor analisa todas estas coisas e não põe o seu dinheiro aqui. Ainda mais que soou estranho, não acham?
O investidor desejava investir na Petrobrás, perde bilhões com os roubos, desvios, etc; daí vem o Governo, com suas recentes viagens internacionais, e se oferece portos, ferrovias, estradas, e o que mais? Para a concessão público-privada ou para o investimento privado mesmo; mas os investidores podem pensar, poxa a vida, roubaram nosso dinheiro internacional na Petrobras e agora querem fazer o mesmo nas novas concessões e programas de investimentos em infraestrutura?
Mas o pior de tudo, o pior mesmo, é que tudo isto é apenas tudo aquilo que eles têm para fazer. Quando não as encerram.

VOCABULÁRIO LIVRE:
Feudos: Pequenos núcleos do poder baseados na questão territorial.
Pensamentos: Um pensamento é algo que está entre o espírito e a matéria. Como espírito, ele vale-se da questão da efemeridade (atemporal), e como matéria ele se vale da existência tátil (temporal). O pensamento não é nem espírito nem matéria, ele serve aos dois, mas é dono de si mesmo; dizem que o pensamento tem mais força (revela-se) na sua face espiritual, enquanto que o pensamento na matéria é confuso e cheio de armadilhas.
Lendas: São as histórias carregadas com significados especiais.
Mitos: são as Histórias tornadas carne.
Verdades: Há verdades e verdades. Mas a Verdade é uma só.
Cyber Punk: É o rigor da tecnologia. É à força do cibernético, do tecnológico, do online, do powerfull system, etc. Tudo aquilo que remete a alta tecnologia aliada a vida humana, com uma certa violência e um desrespeito as pessoas e a vida, principalmente a vida natural, harmoniosa.
Cyber Punk Gótico: Quase como o acima, porém carregando certa tristeza, ou desânimo na vida. O ser ainda se rendeu a cyber tecnologia, ou simplesmente, tecnologia, aceita os meios online, as funcionalidades novas da vida, os novos objetos, etc, mas algo não os deixar ser inteiramente felizes ou explosivos como os cybers punks.


Arte do Post: Postais Autorais


Aqui, uma Postal de divulgação de meus três perfis no Facebook:
Edson Fernando Souza;
Livros do Edson; e
Ed Son Nando



Cartão de Visita do autor do blog (versão online).



Quadro 1: diz para não se deixar levar pela opressão que as pessoas inteligentes sofrem, ao contrário, diz que devemos exercitar a frase “o que entra pela esquerda, sai pela direita”.


Como Funciona este Blog: As Atualizações, As Páginas e os Widgets
Este blog foi visto por mais de 10300 pessoas ao redor de todo, quase, o globo: as maiores visualização são do Brasil, dos USA, da Rússia, da China e da França; mas países como Índia, Paquistão, Reino Árabe, Portugal, Itália, Canada, Venezuela, Argentina e Austrália já acessara meu (nosso, why not?) blog.
Mas o que vem a serem os livros do Edson? Primeiro de tudo, é  um só, é o Livro (o conteúdo, a postagem) dos Livros do Edson (o site). Assim, juntos, são os livros do Edson. Cada postagem é um livro? Não, Livros do Edson não quer dizer que cada post destes é um livro, nem uma revista, nem periódico segundo um ou outro critério. Livros do Edson é um blog LIVRE. É a evolução do blog do wordpress (ao qual faz tempo que não acesso) Liberdade Autoral, um projeto do curso técnico de Web Designer, meu e de mais três pessoas, e como sai do curso, achei que deveria deixar o blog, a página sem movimentação alguma, por isto veio o Livros do Edson: onde cada conteúdo é aquilo a que se preza, e coletivamente, é um blog.
Liberdade Autoral falava da questão dos S.O.s (Sistemas Operacionais) livres (como o Android, o Linux, etc) VS software pagos, como o Microsoft Windows, o iPhone e seu iOS, etc. Hoje eu sei que esta questão é mais complexa, com variáveis como TOTVs VS SAP, programas demonstrativos, sistemas inteiramente online, e-Social, etc e etc. o próprio LinkedIn, rede profissional que aprecio muito, tem versões pagas e versões gratuitas, com menos funcionalidades, claro.
Assim, Livros do Edson é o blog meu, que fui um dos autores do blog Liberdade Autoral.
Estou escrevendo este post off-line, mas posso dizer que cada Livro / Página deste blog é (Livros / Páginas conto superior esquerdo do blog):
·        Matão In Controller: página do blog dedicada à parte dos meus esboços das pesquisas de controladoria e finanças, já orientadas as pequenas e médias empresas, mas sem se preocupar muito com as questões fiscais, (exceto, a contabilização destes valores como despesas operacionais...).
·        Nova poética & Prosas e Poesias: Página dedicada aos poemas meus, eram três páginas, uma ocorreu erro e fiz uma segunda, que também apresentava muitos erros de formatação e acabei por criar uma terceira, atualmente, este blog tem duas páginas de poesia junto dele.
·        O conto do Noctâmbulo: Um personagem com muitos destinos, este é Luis. Ele morre, morre novamente e continua a trilhar o caminho que leva a sua morte. Será um obsessor? Mas tem ainda um primeiro Luis, do conto da Casa de Macumba... Luis é síntese do marginalismo decadente das drogas, do álcool, da venda do corpo, etc; ele tem companheiros, como O introspectivo, Joana e o Menino-Lobo. Mas Luis é o mais decadente e bizarro, sem dúvida alguma.
·        A Urna Cúbica de Platina 1 e 2 (e 3, talvez): Crônica Completa de Mago a Ascensão 2ª Edição, em duas páginas deste blog (e talvez uma 3 e 4). Jogo de RPG para jogadores iniciantes ou experts.
·        Vale mais Reinar no Inferno do que Servir no Céu: Crônica literária escrita totalmente na web, não tenho os esboços originais, está tudo no site, tudo o que tenho até este momento. A trama também, ainda não está completamente desenvolvida e eu mesmo estou tendo que refletir para seguir a história... Tem um pouco a ver com a saga de Stephano...
·        Os Excluídos Renegados: Diz de Stephano, um anjo que se tornou demônio e que agora foi exilado na Terra.
·        The Other and the Another: um mix de blog e propaganda com conteúdos da internet, geralmente criados por mim, ou que me tocam profundamente.
·        Outros links: há ainda links aos meus perfis do Currículo Lattes, Linkedin, etc.

As Atualizações, no Espaço das Postagens é um pouco mais do que isto:
·        Postagens: São conteúdos que posto. Algumas postagens se destacam, vejamos cinco: Hi Teco Tech, Tratativas Contábeis, Autocthonia, Conheça o RPG e Ass Nus. Hi Teco Tech era um caderno de poesia que escrevo que mistura poemas, rap e som eletrônico, que transformei em um post. Tratativas Contábeis é uma postagem dedicada à contabilidade, a ao tratamento que deveria ser dado as funções do contador. Authoctonia e Conheça o RPG são postagens dedicadas ao RPG, sendo que Authoctonia é do universo da Tecnocracia e o outro post se relaciona com estes jogos como um todo. Já a postagem Ass Nus, uma das mais recentes, diz sobre a questão do nosso comportamento atual, muito individualista, frio e superficial, postagens inspirada em Century of Fakers do Belle & Sebastian. As postagens podem falar tanto de música, contabilidade, de temas de interesse da sociedade, de cultura, de literatura, de DJ, enfim, de tudo aquilo que gostamos.

Os Widgets, “caixas” e partes independentes e correlacionadas ao site, que ficam: acima, ao lado esquerdo, e abaixo; estas partes têm outras funcionalidades:
Servem para acessar as páginas e os arquivos das postagens deste blog; fazem link com meus outros perfis na web; são informativas; permitem seguir este blog, seguir por e-mail, e postar comentário (sempre em baixo da postagem ou da página), entre outras funções.
Fique a vontade para nos seguir por e-mail, seguir este blog, compartilhar este endereço em suas redes sociais e profissionais, comentar neste blog (aqui mesmo no Blogger ou no Google+) ou entrar em contato por redes sociais ou mensagem. Obrigado por me ouvir no soundcloud, reverbnation e promodj. Thank you.


Quem é: Autor do Blog
Todos esses sou eu: @novalluz, Livros do Edson, Edsonnando, Edson Fernando de Souza, Ed Son Nando e edsonnandodesouza. Todos estes são meus perfis na web.
Eu escrevo desde 1995, no começo datilografava. Em 2010 comecei a escrever mais em computadores, tabletes, etc. Eu reviso e formato TCCs. Sou bacharel em Ciências Contábeis pela faculdade Estácio / Uniseb. Tenho inglês certificado MyElt (Capes, National Geographic) de Nível 4 (correspondente ao Ensino Médio em Português, no Brasil). Iniciei cursos de Web designer e Mecânica (Nível Técnico), mas não os concluí.
Atuei no setor público, na iniciativa privada (em pequenas empresas), desenvolvi projetos de pesquisas, além de demais atividades extras curriculares.
Gosto de mixagens, de leitura, de artes e de jogos de RPG. Fui jogador de Vôlei, posição “Rede”.

Considerações Finais:

Claro que este blog torce a favor do Brasil e da América Latina. Apenas não podemos ignorar o fato de que avanço no Brasil significou corrupção e dar poder de compra, ou oportunidade de emprego a quem mais pretendia causar distúrbios e problemas com suas atividades. Mas se você refutar pessoas assim vão lhe dizer que você tem inveja da fortuna e da sorte que ela tem. Pessoas como as que leem este blog e que se preocupam com um bem estar social, aliado a muita arte e cultura e técnicas precisas, tendem a se revoltarem e se enfurecerem com o que acontece nas ruas, nas cidades e nos porões de Brasília. Mas o que quero dizer que obras como o PAC, estas grandes licitações e concessões, etc; ao que indica a história recente, serve apenas para dar emprego a uma mão de obra com pouca qualificação (maioria), e os cargos de qualificação (minoria estratégica) geralmente eram ocupados por simpatizantes do Governo e ou seus Aliados. Mas nisto, a gestão, a gerência e o bom rigor se perdem, por causa de aliados, de aliados, de parcerias e de investimentos questionáveis.
Mas não devemos nos esmorecer e nem sequer questionar, irão dizer que estamos é com recalque. Que queríamos os seus cargos; queríamos que tudo funcionasse direito isso sim, e que a carga tributária não servisse apenas para inchar cada vez mais uma máquina pública falida, quebrada e com problemas incorrigíveis de transmissão de força e movimento. Se fosse uma máquina mesmo, já estaria depreciada e totalmente deteriorada; mas é uma nação, e temos que fazer o possível para não deixar o Brasil parar ou se trincar mais ainda.
Vai nos dizer que não foi planejado deixar o Brasil como está, com estes cybers punks reinando em seus feudos contanto contratados de alguma empreiteira e revoltando-se e voltando para sua terra, quando a empresa teve seu contrato rescendido?
É importante não desanimar e não deixar que tudo o que já foi conquistado se perca, há muitos interesses em jogos, mas vamos apenas focar nossa mente nos ensinamentos do grande mestre Jesus, que se nos pautarmos nestas valiosas lições, sem dogmas e sem preconceitos, deste modo sim, conseguiremos avançar de modo mais do que satisfatório e (por  que não?), sustentável, humano e digno.