Confirmação GOOGLE Adsense



This post confirms my ownership of the site and that this site adheres to Google AdSense program policies and Terms and Conditions: partner-pub-0072061571065124


sexta-feira, 17 de abril de 2015

Educação da Gestão



A Imensa Educação da Alta Gestão



“Pelos níveis de linguagem melhor se expressa a quem se direciona a mensagem referente.”
Livros do Edson / Edson Fernando




EDITORIAL
Esta é a cidade em que vivemos: temos um espaço em comum, semelhanças físicas e turbilhões de mentalidades que às vezes se chocam e que outras vezes, condizem-se. Que maravilha! Isto é a sociedade, não existe uma sociedade 100% igual. Por vezes, pensamos em criar guildas, formar associações, gangues, grupos de rua ou de hobbies, trupes de teatro, grupos de pesquisa, o que quer seja isso: congregar-se, afiliar-se. Isto é ruim, é segregar, sim! E mais, em muitos grupos fechados, coisas piores são feitas e de duas há uma: ou os governantes sabem e não fazem nada ou não sabem de nada (muito comum no Brasil). Muitos argumentam que se unir com seus semelhantes não é nada de errado, mas assim, muitos estimulam o preconceito, a zombaria dos outros e a não aceitação plena do espaço do outro no mundo, com estas práticas de antes da Idade Média.
Este blog é a favor da livre manifestação filosófica, sexual, cultural, étnica, intelectual e social; estimula o avanço mental e o auto conhecer-se sem máscaras ou facetas forjadas; temos que almejar a essência mais profunda em nós mesmos, buscar aquilo que sabemos, mas que achamos que esquecemos ou que então, pior ainda, acreditamos apenas naquilo que os outros dizem ser o melhor, a verdade, o certo, e com isto, querem nos manipular...
Somos a favor da liberdade, da verdade, da arte, da ciência, da instrução, da paz, do amor, da amizade, das uniões verdadeiras, mas que não segregam (jamais!), mas que cada vez mais trazem união, equilíbrio e possibilidades de viver em um mundo melhor.
Nesta postagem, um pouco do comportamento do jovem sem um correto apoio dos pais ou da escola (da sociedade, como um todo, por que não?), que se perde em transgressões, em ideias erradas de um mundo que estimula o consumo, a disputa e a posse e não reza vela tanto pela a caridade, a instrução, a orientação e a responsabilidade; mas vivemos a dizer que o mundo está nascendo novamente, a cada dia e que as práticas sustentáveis, ecológicas, as práticas de responsabilidade social e bem viver em sociedade serão cada dia mais aceitas e quistas; respeitando deveres e obrigações, ambos, suscetíveis ao rigor da lei, onde deveriam viver juntos, naquilo que somos, com aquilo que de certo modo, combatemos – senão pela agressão física, ideologicamente. Se a gente não conseguir aprender a conviver, então não haverá nada mais que podermos aprender.





TEXTO: A Educação e a Gestão


     Tem quem acredite que quem é bem estudado, tanto pior é quando comete um crime. Dizem, assim, que é compreensível que um pobre coitado, morto de fome ou de vontades, queira (e possa até mesmo) roubar algo para lhe aliviar as dores e o sofrimento. Mas um homem culto e instruído, quando comete crimes de gestão, do colarinho branco (geralmente corrupção, evasão fiscal, improbidades administrativas, decoro parlamentar entre outros) atribuem-lhe mais falta de vergonha na cara, porque não lhe faltam o básico nem o supérfluo, então porque tirar do pobre ou da empresa ou do Governo? Quando um alto funcionário, um político ou uma pessoa de posses elevadas vem a cometer crimes financeiros (ou mesmo de falta de amor ao próprio) a impressão que se tem é que o povo revolta-se mais, isto quando entendem, porque há um sério problema de comunicação (mensagem e referente -> emissorreceptor e canal) no Brasil, na América Latina, talvez na Rússia e muitos outros lugares do mundo, porque não convêm que todos nós falemos a mesma língua. Por isto esse blog usa esta linguagem: por ser a mais adequada que acredito, e por assim, poder ser mais bem traduzida pelo Google Tradutor ou outra ferramenta de tradução, isto tem ainda  a ver com nossa compreensão e como devemos de fato, comunicar-nos.  Claro, num processo linguístico, sempre pode haver falhas (escrevemos palavra errada, a frase não ficou exatamente como foi pensada ou há questões gramaticais que impedem que a comunicação flua bem – no âmbito da escrita –; e, também, pode ter sido dita palavra ou sílaba errada, pode ter havido alguma entonação estranha na fala que causou incertezas no interlocutor, etc e tal – no âmbito da fala). Pelos níveis de linguagem melhor se expressa a quem se direciona a mensagem referente. Quanto menor a educação do indivíduo (grupo de indivíduos) menor as possibilidades de adequação dos níveis de linguagem, e mais coloquial e segmentada (com gírias) será a conversa. Todavia, alto nível educacional não garante a pessoa expressar-se adequadamente e nem que terá altos índices de padrões éticos – ainda que seja um doutor ou um mestre, a pessoa é um ser humano, que pode ter inclinações a tendências positivistas, iluminadas, de boa índole; quanto pode ser alguém com tendências negativistas, de mau convívio social e de desgaste entre seus semelhantes.
      Mas na rua não se ensina isto, isto não é dedicado nas conversas da banca. Como afirmamos: a muitos interessa que as coisas não sejam esclarecidas e mostradas; mas a verdade deve prevalecer e tudo que é oculto há de ser exposto, segundo as próprias palavras do Cristo, em profecia a João. Enquanto se viver nas ruas, se se importar pelos rachas de carros e motos, pelas disputas de todo o tipo (quem bebe mais, quem namora mais, quem se afunda mais na lama, etc), enquanto houver as rixas territoriais, as brigas ideológicas, mais e mais prolifera a corrupção, por exemplo, porque é exatamente isto que querem que sejamos desunidos; que vivamos vidas particulares, com disputas infundadas contra nós mesmos (ou quem poderia ser um de nós); enquanto vemos a ponta do iceberg da corrupção pelas farpas entre partidos e políticos. Quando chega à mídia um caso assim, é que houve um descontentamento entre os próprios integrantes do esquema, algum erro foi cometido ou a Polícia de Inteligência trabalhou corretamente (no Brasil: Polícia Federal, ABIN, Ministério Públicos, em alguns casos, Poder Judiciário etc.). Mas isso não indica que o esquema acabou e nem que toda a verdade venha a ser conhecida, ao menos por enquanto. A questão é muito complexa e não nos aprofundaremos mais nesse momento. Porém é interessante que seja fixada a mensagem: enquanto o povo (seja acadêmico, técnico, operário, telemarketing, profissionais do sexo, religiosos) permanecer atento apenas a suas vidas particulares e não tiver uma consciência e uma comunicação clara e completa entre todos os seus membros, sobre as falcatruas, corrupções, mandos e desmandos, estes vão continuar. Quando nós falarmos abertamente sobre as consequências de atos governamentais inconsequentes, verdadeiramente, o Brasil estará num caminho de ir muito, certamente, mais muito mais à frente. E isto vale a muitos outros casos: devemos parar de nós odiarmos como seres humanos com algumas diferenças, e nos amarmos mais como cidadãos que queremos um país melhor para os netos de nossos netos.
        Há ainda, infelizmente, que gay é lixo, que lésbicas são mulheres recaladas e machonas; que índio e canibal, que muçulmano é terrorista,  sambista é ladrão, viciado em crack precisa morrer e que quem vende droga deve morrer: claro que tudo isto é mentira, são ganâncias que dia a dia causam muitas dores sofrimentos no mundo. Ensinam que os membros de uma religião vão aos Céus e que os fieis de todas as outras religiões vão arder no Inferno. Que umbanda é errado e que evangélico são certos. Mentira, mentira e mais mentiras. O mundo deve convergir  uma grande diversidade e todo e qualquer pensamento retrógrado deve ser banido, a Sustentabilidade (Responsabilidade Social, Questão Econômica /Financeira e a Governança) e a Responsabilidade Ambiental devem cada dia mais prevalecer; e inciativas como Eco 92, Protocolo de Kyoto, ISEGRI e SA 8000 Standart 2014 devem surgir nos quatro cantos do planeta. E quem não estiver dentro deste NOVO MERCADO terá dificuldades de existir, de vender, de comprar e de crescer economicamente, com respeito social e ambiental.
     A Educação do Gestor nada mais é do que o mais alto nível de eloquência, de clareza, de elegância, de domínio textual e contextual. Entendemos como gestor um profissional competente que não se permite vender por valores quaisquer que sejam, e sabe que sua postura e suas atitudes, e que suas tomadas de decisão influenciam a vida de milhares de pessoas; e sabem respeitar todas estas condições; e limitarem-se quando assim exige o cargo qual ocupa – sempre de acordo com os mais altos critérios de seleção e desempenho, segundo gostamos de acreditar. O verdadeiro gestor, ou o mais próximo disto, preocupa-se com as pessoas em suas decisões, sabe ponderar as questões de cada lado; mas opta, por também confiar em suas aptidões e talentos. Ele confia em seu trabalho e tem orgulho e DIGNIDADE disto. De nada adianta ter tanto conhecimento e realizar um trabalho quebrado, apenas assinando e não atestando a verdade de tais documentos, peças; enfim, usar o crédito de uma profissão ou de um registro profissional para trazer mais práticas obscuras e parciais ao mundo, é uma atitude sem sentido; ainda mais quando todos convergem para ordens maiores e padrões mais elevados; e não velhos hábitos sem sentidos, repetições insensíveis e pensamentos retrógrados.

      Os desafios do mundo contemporâneo e futuro exigem respeito mútuo; conformidade social e legal; transparência, atitude e posicionamento pró ativo; enfim, a construção da nova realidade das coisas aguarda as ações de implantação, controle e reavaliação de práticas éticas, sustentáveis e responsáveis comunitariamente.



SONS DO POST

SET SERIOUS FRIEND



SET TROPICALIAN [ELECTRONICFOLK








CONTABILIDADE E CONTROLADORIA





DICAS SOBRE EMPREENDER


Todas as coisas tem um tempo certo de acontecer. Independente do tamanho de sua empresa, ela tem apenas três opções de vida: crescer, estagnar ou quebrar. Ela pode ser uma start-up; uma joint venture, enfim, ela pode ser uma ME, LTDA., MEI, EPPS – sim uma PME, pequenas e médias empresas; ela pode ter um capital próprio, de terceiros, enfim, ela pode ser quase tudo, mas sem controller ela terá menos condições de crescer; e mais condições de estagnar, senão quebrar. O controle que se refiro aqui, em EPPs, abrange Gestão: Planejamento e Controle. Contabilidade Gerencial: Sistemas de Informações contábeis e / ou demais providências legais / tributárias.
E mais uma vez, falaremos de Gestão em Epps:
Amanhã, dia 18 de abril de 2015, vai ser lançado nacionalmente o Qipu, uma APP – aplicativo, para iOS,Android e Windows Phone - veja mais em:
·       Diário Gaúcho, matéria informativa sobre o novo APP do SEBRAE e do Buscapé que oferece várias notificações ao microempreendedor, além de auxiliar na elaboração de planilhas para servir de base a Declaração Anual de Informações Sociais e pagamento de impostos(RAISDAS-MEI, etc)| LINK AQUI |;
·       O Site do SEBRAE também trata do assunto no aplicativo Qipu | LINK AQUI |;
·       OUTRO LINK que desejo recomendar é sobre o Artigo Gestão de Si e Empreendedorismo, de FelipeViscensi Duarte, que se encontra em O repositório digital da LUME UFRGS | LINK AQUI |.

A Gestão é muito importante e fundamental para o bom andamento de uma entidade contábil, seja ela qual for: não me canso de dizer e pensar isto!
Este blog tem muito conteúdo sobre o tema, mas ao contrário do que se espera nenhum, ou quase nenhum destes conteúdos estão prontos:
1.          A Gestão é “pessoal” para cada empresa. Cada empresa tem sua gestão baseada no planejamento estratégico; em EPPs, uma gestão baseada em um plano de ação já é suficiente; mas a técnica que proponho de gestão em EPPs é orientada a apreciação do dono da empresa, ou seja, deve servir para que o proprietário melhor tome suas ações em relação a sua empresa, além de ter que sugerir algumas modificações ou adequações.
2.          A Controladoria, a Gestão esteve presente nas grandes empresas desde a década de 50, e se popularizaram com o barateamento dos computadores a partir dos anos 70. No Brasil, em 2003, começou a se propor ações de Gestão em PME. Entendemos que as mudanças contábeis pós 2007 e as constantes alterações fiscais tributárias no Brasil pós 2010 tendem a atrair mais ainda a atenção da Gestão para as pequenas e médias empresas.
3.          A questão do custo dos serviços, da relação custo benefício, pode se desenvolver de modo mais normativo com o uso de APPs públicos, ou mesmo com políticas de incentivos à inovação e a adequações mercadológicas, por parte do Poder Público; outras opções, também poder haver, mas sempre dentro da legalidade e das práticas aceitas comumente no mercado como ética.

A gestão (controladoria) em EPPs tem várias aplicações. Descobrir margem de lucros, fazer o correto cálculo dos preços dos produtos e serviços, do fluxo de caixa, das datas de entradas e saídas, investimentos, etc. Pode ainda confeccionar, ou auxiliar na elaboração de DRE(Demonstrativo de Resultado do Exercício); DFC (Demonstrativo de Fluxo de Caixa), BP (Balanço Patrimonial), BS (Balanço Social), DVA (Demonstrativo de Valor Adicionado), LALUR (Livro de Apuração do Lucro Líquido – a atua legislação acabou com o LALUR, por agora ser tudo digital), senão para fins fiscais e obrigatórios, para servir de importantes ferramentas da tomada de decisão; ou para a comparação da empresa em cenários alternativos ou mesmo o comportamento da mesma, hipoteticamente, em outras condições  e regimes de tributação; entre outros...
Sobre o LALUR, a publicação da  Instrução Normativa RFB 1.353/2013  fez com fosse criada e escrituração Digital do Imposto de Renda e da Contribuição Social sobre lucro líquido (IR - CSLL); e como oLalur servia a apuração dos mesmos, em tese, o Lalur foi extinto, mais ele ainda pode oferecer as informações gerenciais ao qual se propunha. A DIPJ também foi extinta neste processo.
Outro ponto da Gestão, com tudo digitalizado, as técnicas de controle ganham outra dimensão, ganham mais agilidade, transparência e, se existe certas dificuldades de adaptações, sempre, ao final das adequações, a desenvolver dos trabalhos ocorre de modo mais preciso e eficiente.
O caminho da sustentabilidade, passa pelo correto acompanhamento gerencial e de controladoria, mesmo aos pequenos empresários e microempreendedores individuais.
Veja mais links sobre a extinção do LALUR:
·       Site Sispro LINK AQUI;
·       Site SPED Brasil LINK AQUI FORUM;
·       Site SPED Brasil LINK AQUI Matéria;
·       Site CRC DF LINK AQUI;
APP Qipu


LOGO DO Sistema SIMPLES de Tributação nacional:


Imagem de Totvs - Sistemas ERPs (de Gestão, Fiscal, Controle, RH) Para empresas de diversos portes e segmentos. Totvs é Software  pago, mas tem versões demonstrativas.


MUITO OBRIGADO POR SUA VISITA, Volte sempre. Agradeço por compartilhar e comentar o blog. Até mais.

domingo, 12 de abril de 2015

Do Livro e Da Vida

postagem de agradecimento a todos os meus leitores, ouvintes, amigos e conexões ao redor do mundo todo, principalmente: USA, UK, Russia, América Latina e Brasil.

Não me canso de dizer da satisfação que é para eu ser visto, ouvido e conhecido, de certo modo, em tantos lugares diferentes, muito obrigado por estar aqui e vida longa a este url!!!


Do Livro e da Vida
I
certos dias, a magia acontece,
se é notado, tudo dá certo,
se é ignorado, um pouco ignorante torna-se.

Dizem que não se pode ter fartura,
seja de dinheiro, de bens, de saúde, de amigos,
do que seja, do que precisa,
sem que antes tenha uma fartura mental,
uma serenidade interior e uma convicção 
daquilo que vai lhe vir à sua mão.

É sempre a sua solução:
é a do conhecimento?
Ou a da vivência.



POST 113

Sobre o Livro e a Vida


EDITORIAL: Esta postagem nasceu do aumento nas visitas que meus blogues receberam em 12/04/2015. Acredito que haja motivos para isto: 1° Publiquei uma atualização no blog o_boêmio, e fiz a divulgação em todas as minhas redes sociais; 2° minhas conexões em LinkedIn e Twitter tiveram alguma interversões comigo de modo significativo no final de semana desta postagem; 3° os protestos Brasil a fora na presente data; 4° questão cósmica, pois estou em aniversário de Vênus em meu céu astral, e isto faz as outras pessoas me verem mais estético, mais artístico por estes dias. Por isto e por mais, esta postagem. 
Eu tenho uma dupla regência artística, ética e estética em meu mapa astral, além de forte influência da arte com a morte. Isto significa que posso atuar com arte antiga, como de pessoas que já faleceram, como poetas, filósofos, roqueiros, etc; posso explorar a compreensão da morte através da arte e poderia ainda, usar de mediunidade para produzir arte, alguém aí acha que já faço isso? Talvez, mas não é proposital, não ainda, espero. Mas como diz Shakespeare - Entre o Céu e a Terra existem mais coisas de que julga tua vã Filosofia.
As manifestações apenas são um sinal claro daquilo que já dizíamos neste blog deste 2012 - o modo administrativo do Brasil (em maior parte pelo PT) é insustentável, tem muitos cargos comissionados, eles prezam pouco o conhecimento teórico e muito e jeitinho prático, que quase sempre leva a corrupção e a improbidade administrativa. Mas como já disse em outros posts, sobre religião e política, este blog não se dedicará a estes temas de quem quer se enganar (Religião e Política tupiniquim) tanto quanto se dedica a controladoria, gestão, contabilidade, RPG, literatura, Música eletrônica, as bancas etc; ainda mais agora, com mais responsabilidades ainda, pois Livros do Edson chegará, previsão de maio 2015, a 10.000 visualizações. Explicando que o blog considera visualização IP diferente e Endereço MAC diferente, ou seja, quem é leitor assíduo deste blog pode não ter todas as suas visitas computadas, por causa do MAC e IP adress. Coisas técnicas que dizem que 10.000 view significa que mais de 10.000 pessoas de praticamente o mundo todo já conheceram livros do edson,  blog de edsonnando, um artista, um gestor, um filósofo em busca de seu espaço em Matão SP. 
Assim sim, Livros do Edson engrossa um coro para uma melhor Gestão e Controladoria no Brasil, mas este blog não é um crítico assíduo do PT e nem pretende incentivar o Impeachment de Dilma - nós aqui acreditamos na mudança sincera de atitude, autuar para inglês ver, só para o mundo achar que mudou alguma coisa, e continuar o velho e arcaico Brasil Podre que os outros fizeram, de sempre, não adianta coisa alguma. 
É claro que deva haver um interesse por Livros do Edson, edsonnando, e o Gestor (pretenso) que almejo ser - > o Brasil tem que ir na direção da gestão, os livros e a literatura são eternos, devem ser recorridos a todo o momento e arte de mixar é algo apreciável sim, independente do estilo que se ouve, um bom set, ao nosso ver, deve ser tocado e ouvido. 
Assim, se em um final de semana, divulgando as ideias de Eduardo Waack e do Boêmio, este blog (Livros do Edson) consegue uma marca de 50 view em um dia, mais cinquenta em outro, e porque não? outros cinquenta ao longo da semana - ora, tudo isto merecia um post novo, com a nossa face.
A edição que publiquei ontem no boêmio_online tem tudo a ver com a questão da sustentabilidade, da responsabilidade ambiental e social - o Jornal o Boêmio diz desses temas deste sua fundação, há 24 anos. Vale a pena conhecer, sem dúvida alguma. Mas o fato de publicar em um blog, atrair a atração pra outro, através de redes sociais, links e posts, realmente é algo impressionante. Agradeço a todos que fazem a cada dia mais este blog obter visibilidade e acessos, fico imensamente feliz com isto. Obrigado, mesmo.

Assim, só poderia criar um post saltarilho, rápido,veloz, na velocidade da web, mesmo a web 3G, para mostrar a minha gratidão para com todos vocês, leitores de mim e deste blog.


No post, começamos com Marisa Monte, "Se é mais inteligente, o livro ou a sabedoria?"  No fim das contas, é sobre isto esta postagem: é melhor ler, instruir-se, intelectualizar-se, ou viver em sociedade, compartilhar de sua sabedoria? A resposta é pessoa de cada mito, de cada um, mas é por isto que este post é Do Livro e Da Vida. Muito obrigado por suas visitas e por ajudar a divulgar este blog. Thank you.



PORQUE COMEÇOU A SE [RE]PROTESTAR TANTO NO BRASIL


imagem do site do Correio Brasiliense 

imagem do site da Exame




Acima, vimos imagens daquilo que ocorreu no Brasil hoje.
As manifestações brasileiras podem parecer de uma mesma origem etnológica, de uma mesma origem mental e comportamental, mas não, as recentes manifestações, acompanham, ao nosso ver, os seguintes raciocínios (pós 2010):
  1. Momento UM: A mobilidade web do facebook e do twitter fizeram com que fosse criada, ainda em 2013-12, uma insatisfação contra o Brasil, os serviços públicos,a governança, etc, pela criticidade e observação dos fatos; alguns amigos meus argumentam que muitos brasileiros foram ao estrangeiro, e voltaram, como consequência da crise de 2007-09, e quando fizeram a comparação do que havia lá fora, com o que temos aqui, começaram a semear a insatisfação com palavras; ou simplesmente, em suas novas posturas com uma mentalidade mais avançada, já começaram a demonstrar a população o quanto o Brasil podia muito mais, e tinha muito pouco.
  2. Momento DOIS: começam as manifestações efetivas, a priori, graças a 20 centavos de aumento em tarifas de ônibus; depois, pela qualidade da educação e da condição de vida do brasileiro. Até este momento, a mão oculta que ninava o berço da nação, para agitar a criança (não para embala-la em sono), ainda não era conhecida. Eu não havia notado personalidade nestas manifestações. Depois destas primeiras manifestações, outras orientadas, foram formadas, sob diversas temáticas: corrupção nas obras Copa, Padrão de qualidade FIFA também na educação, etc...
  3. Momento TRÊS: Começam protestos de classes e categorias de trabalhadores. O protesto dos caminhoneiros foi o mais significativo. O próprio PT estimula protestos a favor do Governo Dilma e contra mudanças na lei, para constar aos olhos do mundo (olhos de inglês ver), que o Brasil ama a Dilma e que outros políticos e que estão "piorando" o país. Mas o fato é que o próprio PT está rachado e tem filiados que votam com o partido e outros que votam contra, bem em momentos mais cruciais da nação. 
  4. Momento Quatro: Começa a se exigir Impeachment, e intervenção Militar - ambos os casos, inaplicados. Ao menos, enquanto não for provado nada de concreto contra o PT e seus presidentes da república. O país continua dividido, tem pessoas que acham que as coisas estão boas e outras, não; o fato, é que falta muita alta administração política no país e sobra atos de uma época que não cabe mais.
  5. Momento CINCO: é o depois, o próximo passo: o pôr-vir. Penso que tudo vai ficar como está e que algumas coisas podem melhorar e adequarem-se; mas acredito que a corrupção irá continuar, porque muito do que pode ser feito não é feito, simplesmente porque não querem que seja cumprido e que só fazem as coisas sérias com ordem judicial, quando a cumprem - e isto vale ao povo, aos políticos, aos donos de empresa e etc. Uma vez que as leis beneficiam uns e punem outros, e ainda contamos com as performances dos advogados... Tudo isto torna a jurisprudência brasileira uma questão de interpretação da Lei: lei objetiva, com aspiração de subjetividade é assim mesmo. As leis do Brasil precisam serem atualizadas, e não amotadas umas cobres as outras....

Infelizmente, algumas culturas populares nossas levaram a uma certa alienação da população: muitas pessoas só pensam em festas, orgias, epifanias, cultos religiosos, carros, mulheres, bebidas, reservas, recursos, etc; enquanto isto deixam de pensar no bem estar da rua, da comunidade, de seus municípios. Enquanto pensam em suas casas apenas, seus carros apenas, suas religiões apenas, seu aliados políticos, apenas, tudo o mais permanece sem alterar, ou pior, apenas agrava mais ainda a situação. Só a educação de qualidade, a técnica, a ciência, o conhecimento como um todo, pode livrar o Brasil da má gestão, dos maus políticos e dos modos errados de se atura na sociedade contemporâneo mundial.

Assim se propõe: O Fim do Voto Obrigatório; a limitação a 8% do total do pessoal dos poderes públicos a disposição de cargos comissionados, a necessidade de controle em cidades maiores de 50 mil habitantes; auditorias e ouvidorias em cidades maiores de 250 mil habitantes; maior acesso ao ensino especializado superior (Mestrado, Pós-graduação); maior incentivo a pesquisa e ao estudo orientado; necessidade de políticas de incetivo e obrigatoriedade de gestão as empresas brasileiras, e não às S.A.s.



Livros do POST
Dando continuidade ao que gostamos de falar de gestão, hoje vou apresentar títulos atuais sobre o tema, e que podem ser consultados de modo gratuito na web. Trata-se do google books, onde é possível encontrar uma variedade muito grande de títulos, com preços acessíveis, para serem  adquiridos tanto em formato impresso quanto em ebooks, vejamos alguns exemplares: (boa leitura!)

Contabilidade Gerencial - PADOVEZE



Finanças Corporativas - PEREIRA




Contabilidade Avançada - CORRÊA







II
E se não se pode perder o instante,
faça no seu momento, do modo que lhe aprouver, 
entregue-se da forma que dar, 
dê-se daquilo que é, se é abstrato,
codifique-se, se é sistemático,
decodifique-se, 
se tem provas difíceis e testes de paciência,
foi confiado que iria realizar todas as suas tarefas;
não desanime, eu estou aqui contigo
e a força que eu não pude lhe dar,
certamente, tem alguém lá em cima, mais no alto,
que há de lhe conceder - se assim você a quiser.




SOM DO POST

Edsonnando - First Sound After Insatisfaction LINK AQUI

quarta-feira, 25 de março de 2015

Caipira e Folclórico


Caipira,  Sertanejo e Folk Lore (Folclore)



 Nesta postagem, um pouco daquilo que somos: nós, por nós mesmos.
     O Brasil é um país anacrônico, atemporal e fragmentado. Na verdade há apenas 3 ou 4 momentos na história recente do país e algumas pessoas vivem em épocas “paralelas” em reflexos de outras épocas neste tempo nosso em que vivemos, vejamos:
·       Mentalidade dos anos 50: O machismo, a submissão da mulher, as indústrias robustas e não eco eficiente, mas que são lucrativas; tem uma certa aversão às diferenças raciais e culturais (mote: cada ciclo em seu ciclo), ou seja, são segmentados, de certo modo, harmoniosos, mas em um equilíbrio de quem não se entende, mas deve conviver pacificamente, mesmo que a pacificidade seja apenas aparente; A sociedade se dividia em classes (A, B, C, D e E), havia distinção de sexo e sexualidade, distinções políticas e econômicas; desta época (ou antes ainda dela) vem a origem de termos, do modo como conhecemos hoje, termos como o Popular e EruditoCaipiraRegional, “mainstream – Hollywood – , underground –guetos –, Pop – popular – e Folk – regional, folclore, basicamente. Como veremos a seguir, os anos 50 eram a Era de ouro da Música Caipira. O Rock ainda dava seus primeiros passos com Elvis Presley, Chuck Berry, Jerry Lee Lewis, Roy Orbinson, Jackie Wilson e outros.
·       Mentalidade dos anos 80: O início da nova mentalidade mundial. A diversidade cultural, sexual, política e religiosa começa a ser melhor aceita, há um certo clima de “aceitação” das minorias e da diversidade, do apelo a democracia e aos direitos humanos; há um não mais focar apenas em lucros, resultados e produções, mas sim para a questão humana e ambiental da coisa toda (USA For Africa – We are the World, representa muito bem este paradigma LINK da Canção AQUI www.youtube.com/watch?v=Zi0RpNSELas). Na época, o Som Caipira  sofreu muito com os preconceitos de DJs, gravadoras, mídias e etc; o caipira se tornara rejeitado no Brasil (pelos agentes mediáticos diretos), todavia, o Rock Nacional, a Tropicália e a Disco Música BR ganham repercussão nacional / mundial. A MPB, o Samba e o Forró (For All), entre outros estilos, continuam com seus espaços conquistados ou avançam um pouco no “Gosto Popular”;
·       Mentalidade dos anos 90: A verdadeira miscelânea de opiniões, estilos, gostos e tendências. Os anos 90 foram o auge da diversidade cultural inconsequente, justamente pela falta de consciência ambiental, social, político e econômica daquelas gerações – a crise mundial de 2007 ainda não havia marcado o mundo tão profundamente ainda w uma certa irresponsabilidade ainda resistia em acabar. Muitos gêneros chegaram ao Brasil nos anos 90, citamos o Ska, o Reggae, o Country, a Dancehall, a Club Music, o Techno, a House, oTrance, o Drum and Bass, o Grunge, o Funk Carioca, o Rap, o Axé BahianoCaprichoso e Garantido, etc e etc... A liberdade brasileira começou depois de 1994.
·       Mentalidade de hoje em dia: O hoje é o contemporâneo, o tudo: o psy, o dub step, o sertanejo universitário, o experimental, e tudo o que existe. Esta consciência das mentalidades ajuda a situar o que realmente é novo daquilo que é apenas uma releitura ou uma coisa que já existe. Não se trata apenas da música e da cultura, do comportamento, dos estilos e da psique das eras, é muito mais: é mentalidade, é intelecto, é Cultura, Cidadania, é Arte, é internet, é hoje e sempre. Cremos que tudo tem seu espaço, hoje; todavia nem toda Arte atrai grandes quantidades de público ou audiência, mesmo tempo um conteúdo renomado ou comprovadamente de qualidade.
     Assim, nesta breve análise superficial temos os três ou quatro tipos básicos de brasileiro, do ponto de vista cultural e intelectual; é claro que dos anos 50 para os anos 2015 muito se alterou, mas como dizemos, há pessoas que ainda vivem como se estivessem naquela época e é disto que trata este post.
      Sintetizando: a mentalidade do brasileiro não é linear, retilínea. Pelo contrário. Vamos começar nos ater por hora que o som caipira, típico do Brasil, já foi valorizado, marginalizado, esquecido e desprezado; até que em nova versão, super produzida (em nada “caipira” ou do campo) ganha o gosto popular depois dos anos 80, todavia, muitos estudiosos no assunto dizem que estes sertanejos e sertanejos universitários não seriam mais a típica música caipira, talvez nem sertaneja, mas sim, um fruto pop da terra. Assim, o povo perde sua identidade, onde deve levar tradições a novos formatos, para poderem melhor se adequar aos rumos dos tempos. Nesta mistura tudo, o que é raiz, o que é forja da indústria da música, e não por nada, uma bela bofetada de pelica nas nossas caras de DJs contemporâneo deslavados (faces raspadas e hidratadas!!), que mesmo em 2015 temos preconceito com o Rural, enfim, torcemos o nariz para o caipira, as composições mais simples – como vemos, esta discussão de estilos e gostos é bem antiga e de maneira nenhuma, meus contemporâneos (ou gente do futuro distante), fomos nós quem trouxemos o underground o gueto pra nossa cidade, enquanto os outros levaram o sertanejo, o mainstream até a cidade vizinha.
      Assim, não inventamos o contemporâneo, apenas vivemos nele, enquanto alguns outros, a nossa volta, ainda, se encontram, ideologicamente, em outras eras e culturas.









Folklore & Folklorist
Folklore é folclore e Folklorist é folclórico ou folclorista. Entendemos que Folk Lore signifique a crença do povo, as lendas, o panteão da população. Folk Lorist é alguém que entretém ou esta a se entreter com assuntos, matérias sobre a crença, o panteão popular. Se as fadas são do folclore da Escócia, do Reino Unido, a Iara, o Bumba Meu Boi são do Nosso Folclore brasileiro. Gostaria apenas de dizer de um neologismo, de uma palavra, assim, Folk Lore Rich, ou Folkloricht – que é Alguém muito valioso (rico) em Folclore, algo como um mestre da cultura popular, regional. Em português, seria algo como um Folcló-Rico.








  Inezita Barroso e o Caipira, o Sertanejo e o Folk Lore:

      Segundo o Blog Recanto Caipira (endereço: http://www.recantocaipira.com.br/historia_musica.htmlno texto História da Música Caipira de Sandra Cristina Peripato, da Editora Ottoni e Prosa Caipira:
“ (...) A música caipira viveu seus melhores momentos, e também os piores, no século 20. A seguir a cronologia de surgimento dos principais personagens, compositores e cantores, da música caipira.
Década de 1920: início da revolução musical caipira.
_ Cornélio Pires e seus caipiras, Ferrinho, Sebastião Ortiz de Camargo, Caçula e Mariano (tio e pai, respectivamente, do sanfoneiro Caçulinha), Arlindo Santana e Zico Dias. Cornélio foi o autor do primeiro disco caipira gravado em 1929.
Década de 1930: formação das primeiras duplas.
_ Arlindo Santana e Joaquim Teixeira, Alvarenga e Ranchinho, Capitão Furtado, dentre outros feitos históricos foi ele quem deu nome a dupla Tonico e Tinoco.
_ Irmãos Laureano, Jararaca e Ratinho, João Pacífico, compositor de grandes sucessos como Cabocla Tereza, Chico Mulato e Pingo d’Agua.
_ José Rielli, Mariano e Cobrinha, Raul Torres e Serinha. O primeiro, ainda nesta década, formou dupla com o grande violeiro Florêncio.
_ Torres e Florêncio. Raul Torres foi ao Paraguai em 1935 e reivindicou a introdução dos rasqueados e guarânias na música caipira, que nesta época era chamada de música sertaneja. Hoje o termo “sertanejo” é sinônimo de música romântica de qualidade questionável, infelizmente.
Década de 1940: consolidação da música caipira.
_ Anacleto Rosas Júnior, compositor de sucessos como Cavalo Preto e Os Três Boiadeiros.
_ Carreirinho. Cascatinha e Inhana, dupla premiada e referência de sucesso, conheça a linda história de amor e sucesso.José Fortuna, autor, dentre outros grandes sucessos, da adaptação da guarânia Índia, interpretada por Cascatinha e Inhana.

_ Lourival dos Santos.
_ Mário Zan, italiano de nascimento e caipira de coração, criador da música Chalana.
_ Nhô Pai.
_ Palmeira. Na década seguinte se tornou diretor musical da gravadora Chantecler e criou, em 1959, o selo sertanejo.
_ Tonico e Tinoco, dupla de irmãos sinônimo de sucesso e autenticidade.
_ Zé Carreiro.
Década de 1950: período de ouro da música caipira.
_ Teddy Vieira, compositor do primeiro escalão caipira.
_ Tião Carreiro e Pardinho, entre idas e vindas, uma dupla que transcendeu o tempo e balançou o chão brasileiro. Sulino e Marrueiro. Vieira e Vieirinha, levaram a catira (que andava meio esquecida) para a música caipira. Irmãs Galvão. Biá.
_ Pedro Bento e Zé da Estrada, dupla que trouxe a cultura mexicana para a música caipira. Exageraram nos trajes e trejeitos mexicanos.
_ Goiá.
_ Silveira e Silveirinha.
_ Dino Franco.
_ Inezita Barroso, a paulista de classe média apaixonada por cultura caipira.
_ Zacharias Mourão, compositor de Flor Matogrossense e Pé de Cedro (música de Goiá, com parceria de Zacarias Mourão).
_ Zico e Zeca. Zilo e Zalo. Elpídio dos Santos, autor das canções de 23, dos 32, filmes de Mazzaropi.
_ Liu e Léu, irmãos de Zico e Zeca, primos de Vieira e Vieirinha. Família com talento de sobra.
Década de 1960: início da desaceleração.
A música caipira começou a perder espaço com o avanço da televisão, principalmente para a bossa nova. 
_ Abel e Caim. Caetano Erba. Moacir Franco. Paraíso. Sérgio Reis. Téo Azevedo.
Década de 1970: últimos suspiros de uma época áurea.
_ Renato Andrade. Renato Teixeira, poeta caipira, lançou em 1973 o clássico Romaria. Cacique e Pajé
De 1970 pra frente a música caipira vêm atravessando caminhos tortuosos. O movimento de “modernização” da música caipira culminou com o nascimento do chamado “jovem sertanejo”, que trouxe instrumentos eletrônicos e composições que nada tem a ver com o ambiente e a vida do caipira.
O que traz esperanças para os apaixonados pela autêntica música de raiz são os artistas que lutam bravamente para manter viva nossa história, dentre os que merecem destaque encontramos Almir Sater (...).”
      
            Há um movimento de ascensão e queda na música sertaneja, caipira e folclórica. Temos aqui três estilos bem distintos que se misturam, ora por desinformação das mídias e das pessoas, outrora por causa dos próprios termos empregados por gravadoras (e em alguns casos, artistas), e mais, em muito pelo preconceito as coisas da terra, ao rural, ao natural – ainda mais hoje, em que tudo tem que ser hy tech!!!
          Inezita  Barroso era uma grande estudiosa no assunto, e em entrevista dada ao Vox Populi da Tevê Cultura, ele ressaltava muito a diferença entre o Folklore, o caipira e o sertanejo. Vamos ver os principais pontos que a grande mestra do Folclore levantou na antológica entrevista:
·       Folcloreé o canto das camponesas que lavam suas roupas nos rios, é o canto do homem que trabalhou e viveu no campo a vida toda; é o canto dos pássaros, misturados ao suor dos meninos em meio ao jogo de bola na várzea, enquanto as mulheres cantam enquanto torram, preparando, a farinha de mandioca. O folclore não tem compositor de carreira, as canções do folclore são de autoria desconhecidas, bem antigas, ou cantadas pela primeira vez num ímpeto coletivo de um sentimento relacionado aos tratos da terra; ou ainda relativo às mudanças que a vida da cidade causa ao homem do campo, mas de um ponto de vista coletivo, em grupo, que invoca sentimentos da memória ancestral e coletiva entre os mesmos de um grupo rural. O Canto dos índios também é uma grande amostra do folclore nosso; tal como os tambores africanos, as danças do sul do país (como o fandango, a catira), etc.
·       Sertanejo: E sertanejo (e o sertanejo universitário) é o caipira com som eletrônico – de grosso modo. Notem que o Caipira é o som do mato, da fazenda, da roça, do camponês, da natureza, do homem no campo. O uso de guitarras, sintetizadores, teclados, caixas de ecos (samples, etc),  não é típico do som caipira. O caipira é a viola, o violão, a voz – são o clássico, os grandes nomes que vimos acima. O sertanejo já seria algo mais voltado para os anos 90 em diante, com Zezé de Camargo e Luciano; Cristian e Ralph, Gian e Giovanni (que acabaram a dupla recentemente), Bruno e Marrone, Victor e Léo, entre outros. Inezita defendia que o sertanejo foi uma nova roupagem (tanto sonora, estética, produtiva, etc) que a indústria da música deu ao som caipira, que foi muito apreciado no Brasil até 1940 – 1950. Mas ainda assim, é interessante notar que a própria Inezita chegou a contrariar o pai, de classe média, ao escolher ser folclorista e cantora de Música Caipira – claro, tudo ficou acertado depois, mas na época chegava a ser um escândalo uma mulher cantando e ainda mais, música tipicamente de homem, de “macho” – nossa homenageada deste post foi uma grande avant garde (mulher de visão, a frente de seu tempo, em termos de liberdade e livre expressão), mesmo quando voltou-se ao Campo em um momento em que muitos torciam o nariz para as coisas da terra. Do sertanejo ainda se diz de quem produz som nos sertões, ou seja, isto é o regionalismo, inclusive.
·       Caipira: O caipira é o homem que corta o mato, este é o significado da palavra na linguagem comum aos índios do interior do Brasil, na época de “invenção desta palavra”. Quando os índios haviam sido “dominados” pelo homem branco (colonizador) começaram as construções de estradas, pontes, etc. Os índios, que não tinham o costume de carpir a terra, nem cortar mato algum pura e simplesmente por devastar – e abrir estradas para a visão dos índios, sem dúvida, alguma era devastar – começaram a chamar o homem branco, colonizador, de caipira. E o termo pegou, para os homens que faziam o trabalho no campo, seja este trabalho qual fosse, ou seja, o caipira era quem preparava o território para que a civilização pudesse vir e crescer. E assim ficou caipira, o homem do campo, mas que na verdade, significa homem que corta o mato.
·       Popular: Entre a diferença entre o Popular e o Caipira (Sertanejo), neste sentido, tomemos como exemplo Zé Ramalho, Fagner, João Mineiro e Marciano, entre outros, tais artistas poderiam sim, estar em outras categorias musicais, como raiz, sertaneja, etc, mas eles ultrapassaram este ponto, caíram em gosto popular, criaram canções que serão tocadas eternamente, enfim, eles transcenderam o grupo cultura do Caipira, do Sertão e chegaram até o mainstream, o pop; ou seja, eles alcançaram a eternidade com seus sons.
      Assim, mesmo nós quem ouvimos sons alternativos, contemporâneos, temos que manter o respeito com os outros estilos, porque a batalha deles também é longa e intensa.








Edsonnando Cd Duplex of Currently Trance


    E aqui, para terminar este post sobre Folklore e Caipira, um som totalmente atual, Psy Trance, Goa Trance, Progressive Trance e House nos dois sets mixados a seguir, espero que apreciem. Até mais amigos, obrigado por lerem, ouvirem, comentarem e compartilharem este blog. See ya.



Set de Progressive Trance e Trance



Set de Goa Trance e Psy Trance